1º casamento (gay) na história da realeza britânica

Ainda não aconteceu sequer mas já é considerado um casamento que vai ficar para a história da família real britânica. Ou não estivéssemos a falar do 1º casamento (gay) entre um primo da rainha Isabel II e uma pessoa do mesmo sexo.

Lorde Ivar Mountbatten assumiu-se como homossexual há dois anos, tem três filhas e é a ex-mulher, Penny Mounbatten, com quem esteve casado 16 anos, que o vai levar ao altar. Ivar Mountbatten, de 55 anos, encontrou o amor ao lado do diretor de serviços aéreos James Coyle, de 56, que conheceu numa estância de esqui na Suíça. Será em setembro e vai decorrer numa capela privada em Devon, sul de Inglaterra. Em entrevista ao “Daily Mail”, Penny Mounbatten explicou que a ideia foi das três filhas do ex-casal: “Foi ideia das meninas. É algo que me deixa emocionada, fiquei muito sensibilizada.”

Having had my eyes closed for the last 3 pictures I was determined to keep them open this time!

A post shared by Ivar (@ivar_mountbatten) on

A ex-mulher assume que tem uma ótima relação com o noivo de Ivar e admite que o ex-marido é uma pessoa muito mais feliz desde que assumiu a sua orientação sexual. “Acho que ele não percebeu o quanto mudou desde que se assumiu. O James tem uma enorme responsabilidade nisso”, sublinha.

Ivar sempre foi honesto com a ex-mulher acerca da sua orientação, tendo-lhe dito que era bissexual antes de a pedir em casamento. No entanto, apaixonada, Penny não recuou por considerar que o amor “ultrapassa tudo”.

Em declarações ao “Daily Mail”, o primo da rainha explicou a origem da cerimónia: “É um casamento muito moderno. Não houve um pedido, apenas a aceitação desse grande amor. Eu quis fazer isso pelo James, ele nunca se casou. Para mim, é interessante, mas não preciso de  me casar porque já fiz isso, tive minhas filhas; mas é importante para ele. James não teve a vida estável que tenho. Eu quero ser capaz de lhe dar isso”.

Depois do casamento do Príncipe Harry com Meghan Markle ter já quebrado uma série de preconceitos, segue-se agora um outro que promete ser ainda menos convencional.