365 Algarve: Música, dança e celebração do património na despedida

Na última semana da programação do 365 Algarve não pode perder o grande concerto da Orquestra Clássica do Sul, no encerramento do 34.º FIMA – Festival Internacional de Música do Algarve; a segunda exibição da nova criação da coreógrafa Madalena Victorino e a viagem ao passado, pelas ruas de Faro, conduzida por D. Afonso III e o rei árabe Almutâmide.

A 34.ª edição do Festival Internacional de Música do Algarve chega ao fim no dia 31 de maio com um grandioso concerto da Orquestra Clássica do Sul, subordinado ao tema Música e Viagens.

As grandes viagens fizeram sempre parte do imaginário e foram uma consequência inevitável para os compositores de maior sucesso. Quando Weber recebeu o convite para escrever Oberon, baseada na obra de Shakespeare, embarcou para Londres, onde acabou por falecer em 1926, logo após a estreia. Já Mozart, enquanto compositor e intérprete, realizou uma longa digressão europeia que influenciou, de forma determinante esta Sinfonia Concertante para dois instrumentos solistas, algo que estava muito em voga em França, na altura. Dvorak embarcou, a convite de um patrono, para os Estados Unidos da América e a sua 9.ª Sinfonia reflete as influências do ‘Novo Mundo’, sem esquecer as suas raízes.

O programa (que inclui a abertura da ópera Oberon, de C.M. von Weber, a Sinfonia Concertante para Violino e Viola em Mi bemol maior, K.364 (320d), de Mozart e a Sinfonia nº 9 em Mi menor, Op. 95 “Do Novo Mundo”, de Dvorak), será interpretado pela orquestra e pelos solistas de renome mundial, o polaco Daniel Stabrawa (violino) e o húngaro Máté Szűcs (viola).

Dia 31 de maio, Teatro das Figuras, em Faro, às 21h. Os bilhetes têm o preço de 15€ e estão à venda aqui.

A coreógrafa Madalena Vitorino regressa à Bordeira para mais uma e última exibição da sua nova obra, EVA PORO #2. Dias 31 de maio e 1 e 2 de junho, esta criação de forte componente comunitária, que conta com participação especial de meninas de várias escolas da região, aborda o assunto do desaparecimento e enquadra-se na programação de Lavrar o Mar.

Madalena Vitorino, André Duarte e convidados perseguem o ar que sopra nas coisas vivas: a pele, os pulmões, a terra e até a galáxia, tudo corpos com uma respiração própria. Este é também um espetáculo sobre como a fragilidade promove a descoberta de novos e improváveis espaços vitais e sobre a resiliência enquanto tentativa de nos respirarmos para dentro do outro

Esta é uma criação marcadamente musical, na qual um homem compõe partituras voláteis em conjunto com os sopros de uma mulher. Um espetáculo também fortemente feminino que conta com outras mulheres, meninas e animais (éguas, javalis, cadelas), que corporificam uma performance poética.

Os bilhetes estão à venda em Monchique, na Biblioteca Municipal, em Aljezur, na Casa Lavrar o Mar (Rua João Dias Mendes) e aqui. É recomendado calçado confortável e roupa adequada para caminhar cerca de 15 min até ao campo onde se fará a apresentação de EVA PORO#2.

É pelas ruas de Faro que D. Afonso III e o rei árabe Almutâmide vão levar um grupo de participantes numa viagem através de diferentes períodos históricos do território. Neste Algarve Desvendado, o último desta temporada, o público é convidado a participar neste espetáculo que vai passar em revista momentos como a conquista da região aos árabes, pela expansão marítima portuguesa, a Guerra Civil, que opôs liberais a Miguelistas e até “molhando o pé” no passado mais longínquo algarvio. Com música e uma linguagem moderna, todos vão poder rir e aprender um pouco dos episódios menos conhecidos e relembrar o papel fundamental que a região teve na História do país.

No fim do espetáculo será oferecido aos participantes uma prova de vinho e a possibilidade de provar mel produzido na região, assim como a visita a uma mostra de artesanato local. Dia 31 de maio, em Faro. Bilhetes único de 10€, à venda no portal 365 Algarve.