7 dicas para poupar nas empresas

O Grupo Your apresenta soluções para potenciar os negócios com medidas de poupança e de otimização de custos das empresas.

Já conhece as dicas para poupar nas empresas? O Grupo Your, empresa especializada em serviços de apoio à gestão, juntou profissionais das áreas de contabilidade e fiscalidade, compras e otimização de custos, recursos humanos e de segurança e saúde no trabalho para apresentarem estratégias com vista a uma gestão adequada dos lucros e das despesas dos orçamentos empresariais.

“Com 2018 a chegar ao fim, as empresas  aproveitam para fazer um balanço da sua situação financeira, e planificar o ano que aí vem. Quer se esteja a gerir uma start up ou empresa com mais anos de mercado é fundamental garantir uma gestão adequada do orçamento disponível, garantindo um equilíbrio sustentável entre custos e ganhos”, explica Sara do Ó, CEO do Grupo Your.

A equipa do Grupo Your deixa-lhe algumas soluções de como pode reduzir os custos da sua empresa através das seguintes medidas:

  1. Adote uma estrutura de custos mais flexível. Quanto mais flexível for a estrutura de custos, mais sustentável é o negócio e a tesouraria das empresas. Nomeadamente no que diz respeito aos gastos com os funcionários, por exemplo, devem ser contratadas pessoas que sejam essenciais para a parte operacional da empresa. Dependendo da dimensão das empresas, todas as restantes áreas, devem ter custos flexíveis com o recurso ao outsourcing dessas mesmas funções ou tarefas
  2. Avalie os benefícios fiscais aplicáveis ao seu negócio. A legislação fiscal prevê diversos benefícios que podem representar poupanças significativas para as organizações. A realização de um diagnóstico regular e eficiente com vista a uma otimização fiscal destas oportunidades é essencial para garantir a rentabilidade dos negócios. Atualmente, a lei prevê incentivos à contratação de jovens ou desempregados, benefícios fiscais relacionados com investimento em ativos produtivos ou com o reinvestimento de lucros, benefícios fiscais à capitalização de empresas ou relativos à reabilitação de imóveis.
  3. Desenvolva um plano de controlo de custos. Faça uma análise crítica às contas da sua empresa. Implemente workflowsde aprovação rigorosos, incluindo a obrigatoriedade de uma autorização superior para qualquer aquisição para a empresa. Adopte regras rígidas no uso de economato e racionalize os gastos com material informático.Implemente, também, Indicadores de Compras baseados na criação de Valor e não (só) na poupança.
  4. Invista em Programas de Retenção de Colaboradores. Atrair e reter os colaboradores é o maior desafio das organizações, uma vez que a retenção de um colaborador custa menos do que a contratação de um novo. A sua substituição envolve custos de contratação, inerentes ao tempo gasto em recrutamento e seleção, custos de onboarding, referentes ao treino dos novos colaboradores e, custos emocionais, devido à saída do colaborador e respetivo impacto no resto da equipa. Construa um diferencial competitivo, crie um ambiente que incentive o colaborador a ficar, uma vez que é uma medida vital para o sucesso do seu negócio.
  1. Formação dos Recursos Humanos. Todas as empresas são obrigadas por lei a dar formação de pelo menos 35h/ano ao colaborador. A adoção de sistemas de formação interna certificada, é essencial quer para a evolução profissional e técnica dos seus colaboradores, quer para a redução de custos. As empresas devem avaliar dentro de casa de que forma podem conseguir dar esta formação, otimizando desta forma estes custos.
  2. Negociar com os seguros de saúde e segurança no trabalho. As empresas devem zelar, de forma continuada e permanente, pelo exercício da atividade em condições de segurança e de saúde para o trabalhador tendo em conta os princípios gerais de prevenção que estão descritas na lei do trabalho. Se a sua empresa tiver um registo zero de acidentes de trabalho num determinado período de tempo, tem uma forte possibilidade de negociar com a companhia de seguros para reduzir o prémio anual de seguro de acidentes de trabalho.
  3. Avaliação cuidada dos seus fornecedores. Garantir sempre que obtém, de cada um dos seus fornecedores, o serviço com a quantidade e qualidade que deseja e necessita. Uma empresa deve sempre rever contratos, preços e produtos com os seus fornecedores.