“A Criança que queria ser… Criança!”

Obra da autoria de Andreia Espain é apresentada ao público no dia 1 de junho no MIRA FORUM, no Porto. Editado pela Happy Zone Edições, "A Criança que queria ser... Criança!" tem uma mensagem que é transversal a todas as idades.

Porque é na infância que se formam alicerces e semeiam valores para a construção de um adulto feliz, Andreia Espain, professora e coordenadora-geral do projeto Happy Zone escreveu um livro sobre a enorme importância desta fase da vida – A Criança que queria ser… Criança!” O lançamento da obra realiza-se no Dia Mundial da Criança, 1 de junho, pelas 17h00, no MIRA FORUM (Porto).   

Editado pela Happy Zone Edições, o livro tem uma mensagem que é transversal a todas as idades, uma vez que desafia à reflexão em família das características e vivências infantis, da importância de educar para as emoções de forma a desenvolverem-se, desde tenra idade, competências que permitam relacionar-se consigo, com as pessoas e com o mundo. 

De acordo com Andreia Espain, “a narrativa do livro desenvolve-se por um conjunto de metáforas que são tranversais a todos, crianças e adultos. As várias mensagens versam sobre o que de mais valioso têm a infância, mas que, tantas vezes, insistimos em retirar às crianças. É sobre a pureza e a capacidade de aproveitar o momento presente na vida de uma criança e que os adultos se esquecem, tantas vezes. É sobre ser pessoa, com tudo o que isso implica: emoções, aprendizagem, resiliência.” 

Identificar e aprender a gerir sentimentos desde pequenos é outra das mensagens do livro. Para a autora, a educação emocional é um aspecto central do desenvolvimento humano e, por isso, relembra que é no seio da família que a criança encontra os seus primeiros mestres.