A inutilidade dos remédios para a tosse

Os remédios para aliviar a tosse podem, afinal, não ser muito benéficos, podendo até provocar efeitos secundários nos pacientes.

Investigadores da Universidade de Basileia, na Suíça, descobriram que os remédios para a tosse podem até provocar efeitos secundários negativos nos doentes, uma vez que uma em cada sete pessoas que toma este tipo de medicação tem, efetivamente, algum sintoma secundário.

Os investigadores compararam a toma de remédios para a tosse com a administração de um placebo em pacientes com tosses que duravam entre três e oito semanas, e constataram que 14% dos pacientes medicados sentiram dores de cabeça, náuseas, desconforto no peito e, em alguns casos, agravamento da tosse.

“Nenhuma opção de tratamento foi associada a um claro benefício na recuperação da tosse ou em outras áreas relevantes para o paciente” depois de duas semanas ou um mês, escrevem os autores no artigo publicado na revista científica “British Journal of General Practice”, sugerindo que é necessário avaliar os medicamentos presentes no mercado  e que os médicos ocupem tempo da consulta a tranquilizar o paciente, em vez de receitar logo um medicamento.