Agenda ‘online’ Cultura Acessível

A agenda 'online' Cultura Acessível, que reúne oferta cultural acessível em Portugal, destinada a públicos com necessidades especiais, vai ser lançada hoje, 28 de setembro, no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa.

De acordo com um comunicado da Associação Acesso Cultura, responsável pela criação da agenda, o objetivo desta iniciativa é “reunir a oferta cultural acessível num único ‘website’, frequentemente atualizado e facilmente pesquisável pelas pessoas interessadas nos serviços de acessibilidade das instituições culturais do país”, tais como audio-descrição, língua gestual portuguesa, materiais tácteis e guias com pictogramas, entre outros.

Nesta agenda, criada com o apoio da Fundação Millennium bcp, os conteúdos poderão ser pesquisáveis por tipo de necessidade (deficiência visual, surdez, deficiência intelectual, deficiências sensoriais e de comunicação), tipo de oferta (exposição, visita guiada, espetáculo de teatro ou música ou dança, cinema), grupo etário, por distrito/localidade, e ainda a data.

Na data do lançamento, a entidade prevê que sejam disponibilizadas programações de 34 entidades nacionais, sendo que metade destas iniciou as suas atividades e sessões acessíveis nos últimos quatro anos.

Na criação da agenda, também foram cumpridas regras da acessibilidade ‘web’, para que a consulta ‘online’ não apresente barreiras.

“Isto significa que as pessoas com deficiência visual terão acesso à informação, assim como pessoas que não têm bom uso (ou que não usam de todo) das suas mãos ou dedos (devido à falta de membros ou doenças neurológicas), ou pessoas que consultam a Internet em ecrãs pequenos (equipamentos móveis, ou outros)”, acrescenta a Acesso Cultura.

A Acesso Cultura herdou o trabalho desenvolvido pelo GAM – Grupo para a Acessibilidade nos Museus, criado em 2003, e que funcionou até 2013 como um grupo informal de trabalho, reunindo membros institucionais e individuais, museus e profissionais de museus.

Alargou o âmbito da sua ação para todo o sector cultural e tem por objeto a melhoria das condições de acesso – nomeadamente físico, social e intelectual – aos espaços culturais e à oferta cultural.

Foi criada por 17 sócios fundadores, e atualmente conta com 131 associados ativos, dos quais 112 individuais e 19 institucionais, de museus e teatros, a companhias de dança.