Andarilhos: uma escolha demasiado perigosa

Os andarilhos, aranhas ou voadores são equipamentos com uma base de suporte com várias rodas, permitindo à criança que ainda não adquiriu a marcha deslocar-se apenas com o impulso dos pés.

Apesar de toda a legislação para aumentar a sua segurança, estes equipamentos ainda são responsáveis todos os anos por acidentes graves em crianças, nomeadamente traumatismos cranianos e queimaduras.

Os andarilhos parecem transmitir aos pais uma falsa sensação de segurança, quando na verdade as crianças que os utilizam estão expostas a um maior número de perigos. Com estes equipamentos as crianças conseguem mover-se a velocidades superiores a um metro por segundo, o que não permite que os pais consigam reagir atempadamente e evitar os acidentes.

Muitos pais e cuidadores baseiam a sua utilização em crenças de que o andarilho permite que a criança aprenda a andar mais cedo e com maior facilidade. Muito pelo contrário!!! A sua utilização não traz qualquer benefício e pode mesmo atrasar transitoriamente o desenvolvimento motor da criança.

Chicco

Várias entidades científicas em todo o mundo recomendam a proibição do fabrico, venda e utilização de andarilhos. O Canadá foi o primeiro país a legislar a proibição da venda de andarilhos, em 2004. Em Portugal, a recomendação surge até no Boletim de Saúde Infantil e Juvenil, entre a consulta dos 9 e 12 meses: “Os andarilhos provocam muitos acidentes: quedas, entalões, queimaduras, pancadas na cabeça, e não ajudam a andar, pelo contrário, podem atrasar.”

Por tudo isto, não se esqueça:

  • O andarilho é um equipamento perigoso, independentemente da vigilância dos pais
  • A sua utilização não traz qualquer benefício para o desenvolvimento psicomotor da criança