Anemia e deficiência de ferro: as consequências

Rastreios gratuitos querem ajudar os portugueses a identificar a anemia e a deficiência de ferro. Uma iniciativa do Anemia Working Group Portugal (AWGP), com o apoio do grupo Germano de Sousa e do Grupo CUF, aberta a toda a população. Decorre nos hospitais e clínicas CUF do País.

Anemia e deficiência de ferro: fique atento! É a principal causa de anemia e atinge cerca de um em cada três portugueses adultos, ainda que muitos desconheçam o que é ou o quais as consequências da deficiência de ferro. Sensibilizar para a necessidade de a prevenir, evitando que progrida para a sua condição mais grave, a anemia, é o principal objetivo dos rastreios gratuitos à anemia e deficiência de ferro, que vão decorrer em todos os hospitais e clínicas CUF do País.

Uma iniciativa do Anemia Working Group Portugal (AWGP), com o apoio do grupo Germano de Sousa e do Grupo CUF, aberta a toda a população, que vai além do rastreio. Informar a população sobre o que é a anemia e a deficiência de ferro, assim como, no caso de suspeita de um ou de ambos os problemas, esclarecer e aconselhar os portugueses, encaminhando-os para uma consulta com um especialista, é outro dos grandes objetivos.

Em Portugal, segundo os dados do estudo EMPIRE, um em cada cinco portugueses sofrem com anemia em algum momento da sua vida e 84% dos afetados não têm conhecimento da patologia. Ainda de acordo com os mesmos dados, apenas 2% dos inquiridos se encontravam a fazer tratamento no momento do inquérito.

De acordo com Robalo Nunes, presidente do AWGP, “é essencial reforçar a sensibilização da população para este tema, uma vez que, por norma, se subvalorizam os sintomas, sobretudo o mais comum, a fadiga, associada a outras situações”. Mas, acrescenta o especialista, “a deficiência de ferro ou a anemia, quando não não são tratados, poderão ter implicações sérias na qualidade de vida do doente”.

Saiba aqui as datas e os locais dos rastreios.