Ano Novo é celebrado com Novo Circo no 365 Algarve

Dezembro no 365 Algarve começa com a redescoberta de ingredientes tradicionais da região e a convivialidade de uma refeição partilhada, e termina com as companhias de Novo Circo Collectif Malunés e Le P'tit Cirk e dois espetáculos que prometem maravilhar o público.

No Algarve, todos os dias e todos os passos contam. Percursos para Colher e Cozinhar – Festival da Comida Esquecida está a 8 de dezembro em Tôr, Loulé, para recolher ingredientes tradicionais, alguns pouco conhecidos do público, que serão depois utilizados numa aula de cozinha. Os anfitriões locais orientam os participantes num passeio interpretativo por todo o território envolvente, focando-se nos modos de vida e na história da horta e respetivos produtos.

Os ingredientes recolhidos serão utilizados na confeção de um prato sazonal da cozinha tradicional algarvia nas imediações desse mesmo local. Será um momento de partilha de conhecimentos e histórias, num ambiente de cocriação de experiências.

À medida que se aproxima do fim do mês e entramos no Novo Ano, a companhia Collectif Malunés assenta arraiais no Heliporto de Monchique entre 27 de dezembro de 2019 e 5 de janeiro de 2020 para, a partir das 21h30, e em conjunto com os sete anões da Branca de Neve, reunir todas as princesas na sua tenda de circo em Forever Happily.

De uma floresta encantada, à Pequena Sereia, a Hänsel e Gretel (ou João e Maria), caberá neste espetáculo todo o universo dos contos de fadas… Desde maçãs envenenadas a chinelos mal colocados, a acrobatas a tropeçarem no seu capuz vermelho, ao mesmo tempo que nos contam o que precede a história conhecida por todos. Aqui, nem tudo é maravilhoso, e as relações humanas são tão frágeis quanto cómicas.

Um espetáculo no âmbito da programação Lavrar o Mar,  que esgota a superficialidade desse “mundo maravilhoso” deslocado da realidade, trazendo uma visão moderna, viva e atual, mas também ridícula.

Nas mesmas datas e local, mas às 18h30, é a vez de Le P’tit Cirk apresentar o espetáculo de circo contemporâneo Les Dodos.

Os dodos foram uma espécie de ave que se extinguiu por ser demasiado desajeitada para sobreviver: não sabia voar, não sabia nadar e era demasiado ingénua para enfrentar a dureza da vida. Este pássaro representava, fisicamente, o oposto do acrobata; contudo, são ambos inconscientes. Viajam entre o medo e a ingenuidade, a vida e a sobrevivência.

Este é um espetáculo onde cinco músicos acrobatas elaboram modelos de microssociedades, expressas através de jogos de relações sensíveis de fragilidade, poder e benevolência. A hostilidade do mundo condena-os a inventarem mecanismos de sobrevivência freneticamente irrisórios, como as tentativas improváveis de escapar à gravidade, através de uma imaginação sem limites.

Um espetáculo ritmado que respira através da música das guitarras, do contrabaixo e do violino. com a assinatura Lavrar o Mar.

A 4.ª edição do 365 Algarve decorre de outubro de 2019 a maio de 2020 e o ciclo de programação parte de uma ideia de território enquanto paisagem à escala humana, que se pode percorrer a pé. Um conceito desde logo associado à Europa, um continente onde as ligações são feitas à distância de uma caminhada, e que constitui o fio condutor desta edição: a profunda ligação humana ao território, quer física quer metaforicamente.

São mais de 400 iniciativas culturais que o 365 Algarve vai promover por toda a região e que incluem mais de uma centena de concertos, cerca de 50 espetáculos de teatro e cerca de cem ações relacionadas com o património da região, entre outros eventos.