Arte urbana invade Famalicão

O Complexo das Lameiras, em Vila Nova de Famalicão, está de cara lavada. As quatro torres do Complexo, onde vivem mais de mil pessoas, recebem murais representando personalidades históricas ligadas à cidade.

Bernardino Machado, Camilo Castelo Branco, Júlio Brandão e Alberto Sampaio são os rostos que dão vida àquele que é apontado como o “maior projeto de arte urbana” do Minho. Uma iniciativa do centro artístico A Casa ao Lado, que orienta este projeto com o apoio do município de Famalicão. Em comunicado, A Casa ao Lado avança que na parte superior de cada uma das quatro torres estão a ser pintados os murais do ex-Presidente da República Bernardino Machado, dos escritores Camilo Castelo Branco e Júlio Brandão e do historiador Alberto Sampaio.

Publicado por A CASA AO LADO em Sábado, 11 de Agosto de 2018

 

Cada torre está a ser pintada com a colaboração de grupos de 12 jovens dos seis aos 25 anos, num total de 48 pessoas, de “dentro e de fora” do edifício. Duas torres estão a ser intervencionadas por jovens moradores das Lameiras, enquanto nas outras duas torres o convite à participação é extensível a toda a comunidade. Além de participarem nos trabalhos, os jovens moradores das Lameiras verão e terão “a sua marca eternizada na obra, através da representação dos seus rostos nas partes interiores de cada uma das torres”. “O objetivo deste projeto passa pela inclusão de jovens moradores nas Lameiras, permitindo-lhes usufruir de experiências artísticas, conhecer outras realidades e deixar a sua marca na zona onde residem. Estes jovens não têm qualquer experiência no campo artístico, mas vão certamente sentir orgulho na sua área de residência e na diferença artística que este projeto trará para a cidade”, menciona o diretor artístico d’A Casa ao Lado, citado no comunicado. Transformar esta zona das Lameiras, que já foi sinónimo de exclusão social, num cartão-de-visita da cidade e um pólo de atração turística, regional e nacional é o que se pretende.

A Casa ao Lado é um centro artístico localizado em Famalicão, fundado em 2005 pelos artistas plásticos Ricardo Miranda e Joana Brito.