As cinco canções mais tristes da história da música…

A Soptify tentou quantificar, através de um algoritmo, a tristeza de músicas produzidas desde 1958 e...o resultado é, paradoxalmente, feliz.

A Spotify, plataforma digital de música, realizou recentemente um estudo com o propósito de revelar quais são as canções mais tristes da história. Para isso, usou o seguinte procedimento: a cada uma das 35 milhões de músicas incluídas na plataforma foram acrescentados metadatos (o tal  algoritmo, ou seja, o conjunto de regras que, aplicadas sistematicamente a alguns dados de entrada apropriados, resolvem um problema num número finito de passos elementares) que incluem uma pontuação de valência para cada melodia de 0 a 1: “As faixas com alta valência soam mais positivas, alegres e eufóricas; e as com baixa soam de maneira negativa, triste, deprimidas e às vezes inclusive zangadas.”

And the winner is…

  1. The First Time Ever I Saw Your Face– Roberta Flack (1972)
  2. Three Times a Lady– Commodores (1978)
  3. Are You Lonesome Tonight?– Elvis Presley (1960)
  4. Mr. Custer– Larry Verne (1960)
  5. Still– Commodores (1979)

Estas são as cinco canções mais tristes desde 1958 até hoje. No entanto, algoritmos à parte, a canção da Roberta Flack que encabeça a lista não é uma melodia triste, mas romântica. O mesmo pode-se dizer de Three Times a Lady. Já Mr. Custer é a paródia de um soldado que não quer lutar. Só talvez as canções de Elvis Presley e Still, dos Commodores possam, efetivamente, ser qualificadas como tristes.

Charlie Thompson, que fez um estudo similar ao do Spotify para medir a tristeza das canções da banda britânica Radiohead, acrescenta que “é sempre bom complementar estes estudos com análises psicológicas e assim obter resultados mais precisos”. Apesar disso, Thompson esclarece que a análise de dados como a que o Spotify realizou é muito útil para diferenciar os tipos de ondas e, segundo isso, ordenar a informação. Mas talvez não seja o mais adequado para avaliar a tristeza do que quer que seja…

De qualquer modo, ouvir música, mesmo que seja música dita triste, pode dar muito prazer. E se gosta de música triste, isso significa, de acordo com alguns psicólogos, que é uma pessoa empática… (ou não?!!!).

Ouça música. É bom e faz bem…