Atenção: cuidado com os pólenes no ar

As concentrações de pólenes no ar vão estar muito elevadas em quase todas as regiões de Portugal continental nos próximos sete dias, diz o Boletim Polínico da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), boletim que efetua a divulgação semanal dos níveis de pólenes existentes no ar atmosférico recolhidos através da leitura de postos em várias regiões do país.

As elevadas concentrações de pólenes podem provocar doenças alérgicas, nomeadamente no aparelho respiratório (asma e rinite alérgica), nos olhos (conjuntivite alérgica) ou na pele (urticária e eczema).

Para a semana de 22 a 28 de junho de 2018, a SPAIC prevê concentrações de pólenes muito elevadas para todas as regiões continentais, enquanto as regiões autónomas dos Açores e da Madeira contam com níveis moderados e baixos, respetivamente.

Os pólenes das árvores oliveira e castanheiro e os pólenes de gramíneas e parietária das ervas predominam nas regiões de Trás-os-Montes e Entre Douro e Minho.

Nas Regiões da Beira Litoral e Beira Interior predominam os pólenes das árvores castanheiro, com acréscimo da oliveira na Beira Litoral e no Algarve.

Os pólenes das ervas gramíneas e parietária predominam nas regiões da Beira Interior, Beira Litoral, Lisboa, Setúbal, Algarve e no Alentejo com o acréscimo das ervas tanchagem na Beira Interior, no Algarve e no Alentejo.

Ao contrário das regiões do continente, os pólenes estarão em níveis baixos na Madeira, destacando-se das ervas gramíneas e parietária, e, nos Açores, os pólenes encontram-se em níveis moderados, com predomínio dos pólenes do pinheiro e palmeira e das ervas gramíneas, tanchagem e parietária.