Atividade física vs. Exercício físico será a mesma coisa?

Não é segredo para ninguém, que o sedentarismo é um dos maiores inimigos de uma boa saúde. Movimentar o corpo é essencial para mantermos uma boa capacidade funcional, no entanto, a forma de o fazer varia bastante.

Poucas pessoas sabem, mas atividade física e o exercício físico, embora sejam igualmente benéficos, não são exatamente a mesma coisa.

Se quer entender melhor essa diferença e descobrir qual é o mais indicado para o seu perfil, não deixe de ler este artigo que preparamos sobre o tema.

Atividade física

A atividade física pode ser entendida num contexto muito amplo: ela é todo o tipo de movimento produzido pelos músculos, que nos causam um gasto energético acima do que teríamos em repouso.

Por outras palavras, ela é tudo o que realizamos no dia-a-dia quando não estamos em descanso: andar do quarto para a sala, limpar a casa, lavar a louça, passear com o cão, descer as escadas do prédio, brincar com os filhos, levantar para atender o telefone, cuidar do jardim e muito mais.

Como podemos ver, a atividade física não é algo sistematizado ou programado: ela simplesmente ocorre pela necessidade natural do ser humano existir e se relacionar com seu meio e seu estilo de viver.

Exercício físico

O exercício físico, por sua vez, é uma sequência sistematizada de movimentos, que são executados de forma planeada e possuem um objetivo especifico.

O exercício físico pode servir para desenvolver valências físicas, como a resistência, força, velocidade, coordenação, etc.

Quando fazemos corrida, musculação, futebol, natação, etc., de forma sistemática, planeada, com objetivos bem definidos como melhorar a performance, a composição corporal (perder massa gorda/aumentar massa muscular) então estamos a fazer exercício físico.

Por qual devo optar?

Tentarei ajudar de forma genérica, pois para ser mais objetivo teria que ter em conta um dos princípios do treino, o da individualidade – somos todos diferentes – contudo deixo algumas dicas que considero importantes.

Consciência de quem somos e onde pretendemos chegar.

Quem sou?

Sou sedentário? Tenho excesso de peso? Tenho alguma patologia? Sou atleta?

Depois de ter a consciência de quem é, então a segunda questão será:

Onde pretendo chegar?

Quero sentir-me com mais energia para as minhas atividades diárias, quero perder massa gorda, quero preparar-me para correr 10km…

Só depois de ter resposta para estas duas questões, poderemos pensar num planeamento do que devemos fazer e qual o melhor caminho a percorrer.

Imaginemos o seguinte cenário: sedentário, nunca fez exercício físico, excesso de peso e pouco motivado para aderir a um programa de treino. Então nesse caso, comece pela atividade física, mudando aos poucos velhos hábitos como deixar o carro em casa e ir a pé ao café, trocar o elevador pelas escadas, se passa muitas horas sentado no trabalho, de vez em quando levante-se e faça uns alongamentos e aos poucos irá adquirir novos hábitos deixando os velhos para trás. A recompensa será sentir-se melhor, o que de forma progressiva o levará adquirir novos hábitos. Será útil mover-se para bem da sua saúde!

Pensando agora noutro cenário: sedentário há 1 ano, com excesso de peso, mas motivado para a prática de exercício e tem como objetivo perder massa gorda. Neste caso poderia optar pelo exercício físico, pois já possui experiência de fazer exercício e tem motivação, que é um fator importante para a adesão, mas fundamentalmente para a continuidade que o exercício físico exige. Sim falei em continuidade, lembre-se da definição de exercício físico!

Será importante referir que em qualquer dos casos anteriormente mencionados, existe um princípio do treino fundamental, o da progressividade. Comece com volumes e intensidades reduzidos e vá progredindo à medida que se vai sentindo melhor – ouça o seu corpo.

Percebeu a diferença entre atividade física e exercício físico?

Está na hora de começar a fazer mais por si, e entenda que o importante é não ficar parado, “mova-se com qualidade”.

Abordarei oportunamente “Qualidade de movimento

Bons Treinos!

Fonte Manuel Vieira