BMW Isetta de volta

Nasceu italiano, fez-se alemão e agora regressa suíço, eléctrico e mais jovem do que nunca.

Criado pelos italianos da Iso, em 1953, foi adoptado pela BMW, que rapidamente tratou de o melhorar, montando-lhe um dos seus motores (de moto), e fabricando-o entre 1955 e 1962. Estamos a falar do Isetta que, 56 anos depois, está de volta. Conhecido como o BMW Isetta, porque não tendo sido  sido criado pela marca alemã, foi esta que o fabricou em maior quantidade e lhe deu notoriedade, vai regressar em 2019, agora produzido pelos suíços da Microlino Mobility Systems.

Denominado agora de Microlino, respeita na íntegra a estética do Isetta, mas com linhas mais modernas, plataforma mais robusta e com espaço para alojar uma bateria com alguma dimensão, novas suspensões mais eficazes e… um motor elétrico.

Com uma única porta colocada à frente e que abre toda a zona frontal (a outra, na traseira, serve apenas a bagageira), como aconteceu entre 1953 e 1962, terá um habitáculo para dois adultos e um espaço (300 litros) para bagagem atrás.

Com uma bateria de 8 kWh, para quem se satisfaz com uma autonomia de 126 km, ou de 14,4 kWh para quem quer ir um pouco mais longe (202 km), o Isetta Microlino vai ter uma produção inicial de 100 unidades este ano, prevendo-se 1.500 e 2.000 unidades em 2019, aumentando depois até aos 5.000 carros por ano.

Tudo sem ultrapassar o custo de 12 mil euros, um valor bastante baixo e acessível. Pelos vistos, já estão mais de 7.200 encomendas confirmadas.