“Bonanza” é o novo disco dos Madrepaz

Dois anos, dois discos. Depois de "Panoramix", em 2017 - que mereceu lugar de destaque nos balanços musicais do ano e mais de 40 concertos pela Península Ibérica - chega agora "Bonanza", o segundo álbum de originais de Madrepaz. Já disponível nas plataformas digitais.

«Nada é ao acaso. “Bonanza” e “Luz de Candeia“, os dois singles de avanço que têm vindo a tocar na rádio, são também as duas primeiras músicas do disco. Abrem as portas a uma narrativa acerca da prosperidade e do amor que, ao longo de 11 canções, reflete os nossos valores e a nossa conduta para a vida.»

Este disco pode ser descrito como um encontro entre o Folk cuidado de bandas como Fleet Foxes e Ray la Montagne, a ginga da música Latino-Americana de Natalia LaFourcade e Gilberto Gil, e a lírica inspirada em artistas como Zeca Afonso ou Fausto Bordalo Dias. É um disco de canções luminosas, de composições hipnotizantes e vozes cristalinas.

«A força deste disco vem da generosidade de cada pessoa que se cruzou com o “Bonanza”. A inspiração que fomos buscar à Quinta do Boição do Meio, onde compusemos o disco, ganhou expressão maior quando o Diogo Rodrigues nos abriu as portas dos Estúdios de Alvalade. Sem os ouvidos felinos do nosso amigo Hugo Valverde, ou sem o profissionalismo do Miguel Pinheiro Marques, este disco não teria a mesma profundidade.»

A convite dos Madrepaz, também o talento dos saxofonistas António Bruheim (The Gift, Valete) e Dinis Silva (Da Chick) e os trompetistas Sandro Félix (Da Chick, Oquestrada) e Gonçalo Seco (Kumpania Algazarra) se encontram neste disco, para acrescentar a cor dos instrumentos de sopro e apimentar o formato canção, escolhido coerentemente para musicar esta etapa da banda de Lisboa.

Bonanza” trata as palavras com delicadeza. A narrativa, sempre clara, ressuscita memórias passadas de Portugal. Descreve pormenores da vivência na nova Lisboa e conta a história inspirada em personagens da vida real, com uma admiração enorme pela poesia do “guardador de rebanhos” Alberto Caeiro. Desde a maneira descontraída como as palavras fluem em “Queimando Incenso” e “Mil Folhas” à conversa com um amigo brasileiro em “Muito Obrigado”, existe sempre um lado contemplativo que atravessa as canções com um olhar maduro e sensato.

Para assinalar o lançamento do disco, Madrepaz traz consigo mais uma surpresa: um novo video. Em “Salsa Xamani”, a banda mostra-se pela primeira vez na cidade, deixando o recato do campo para “xamanizar” Lisboa. Guardados pelos Espíritos da Noite (Morcego, Coruja, a Loba e suas crias), os Madrepaz partem da Alameda D. Afonso Henriques rumo ao “Baile dos Animais”, passando por alguns dos locais mais emblemáticos da noite Lisboeta. A festa que encerra a noite, mostra a banda a tocar para uma casa cheia, que em êxtase, dança até a “máscara cair”. O vídeo foi realizado, filmado e editado pelo Hugo Cardoso com assistência de realização do Wilson Gaspar. A caracterização é da Raquel Laranjo e a produção ficou a cargo dos Madrepaz.

«Uma vez mais, retirámo-nos para o campo para escrever, mas ao contrário de “Panoramix”, regressámos à cidade para cantar Portugal 2018. “Salsa Xamani” é o nosso novo single e o ingrediente que juntamos a tudo o que fazemos, sempre com amor. É o tempero do nosso Xamanic Pop.»

Os Madrepaz iniciam a tour do disco “Bonanza”, dia 17 de Novembro, no Festival para Gente Sentada, em Braga, partilhando o cartaz com artistas como Marlon Williams, Nils Frahm ou Nuria Graham, tour que continua, no dia 14 de dezembro, no Musicbox Lisboa, com Sequin.