Café: sim ou não?

Antes que decida deixar de tomar café, tome nota: saber beber café é essencial para que tire o maior proveito da bebida. Não corte de vez com a cafeína. Estudo revela que há três aspetos que definem a forma como o organismo recebe o café.

O estudo de que agora se aborda enumera as vantagens associadas ao café, desde que não se exceda a sua dose diária recomendada. E quais são elas? A redução de risco de problemas cardíacos, enfarte e diabetes de tipo 2, assim como redução do risco de depressão. A isto soma-se a sensação de despertar e energia que se sente aquando desta – indispensável – toma.

Contudo, e principalmente por ser algo visto com indispensável, o café pode levar a picos de ansiedade, dores de estômago ou outras consequências que se tenta ao máximo evitar, mas sem largar o café, é claro. É precisamente nisto que se foca o estudo agora abordado pelo The Huffington Post, que começa por esclarecer que diferentes corpos, por terem diferentes metabolismos, recebem a cafeína de diferentes formas. É por isto que alguns precisam de três cafés antes do almoço e outros não conseguem dormir se beberem um café depois do jantar.

Por isso, o importante a reter é que cada um de nós deve definir a forma como o próprio corpo perceciona o café e não tomá-lo só porque o colega toma, o que pode levar ao risco de se aumentar em muito a adrenalina sentida durante o dia, após a ingestão de café.