Calorias não são todas iguais

Se é daquelas pessoas que passa o dia a contar as calorias que ingere, então esta notícia é para si. Aparentemente ingerir 100 calorias de bolachas e 100 calorias de frutos pode parecer a mesma coisa, mas atenção, as calorias não são todas iguais!

A chave parece estar nos nutrientes e não nas calorias. Vários especialistas em Nutrição fizeram uma recente revisão científica a mais de 270 estudos, recentemente publicada na revista Obesity Review. E as conclusões reforçam a ideia de que a qualidade importa mais do que a quantidade.

O que os cientistas liderados pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, defendem é que a ingestão de gordura insaturada (frutos secos e peixe) e de gordura saturada (carne e alimentos processados) nas mesmas proporções calóricas tem um impacto tremendamente diferente na saúde.

Pois, enquanto a primeira é benéfica para o bom funcionamento do organismo, a segunda é um verdadeiro atentado à saúde – argumento que também a Organização Mundial de Saúde atesta.

Dizem os cientistas que o consumo de ácidos gordos ómega-6 está associado a um menor risco de doença cardíaca e metabólica quando comparado com uma quantidade idêntica de gordura saturada. E acrescentam: “por exemplo, alimentos lácteos, como queijo e iogurtes, estão associados a um risco reduzido”.

Se está a pensar começar uma dieta e se foge da sopa com batata mas acompanha a salada com um refrigerante light, então não é boa opção. Pois, as evidências alcançadas permitem defender “fortemente” que o “consumo de bebidas açucaradas, adoçadas com xarope de frutose ou sacarose aumenta os fatores de risco cardio-metabólico em comparação com as quantidades calóricas iguais de amido”.

Quanto ao aspartame (adoçante) continua a ser tão prejudicial quanto o açúcar. No entanto, a revisão científica defende que não foi detetada qualquer ligação entre o consumo e o ganho de peso em adultos.