Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, celebra 13 anos

Em setembro, assinalam-se os 13 anos de vida do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, e a reabertura das portas ao público e à arte. Por isso, vai haver festa... durante todo o mês.

A celebração começa, com entrada livre, num palco de relva entre o Castelo de Guimarães e o Centro Cultural Vila Flor (CCVF), com o Manta, um mundo constituído por arte, natureza, arquitetura e interação comunitária, que invade mais uma vez os jardins do CCVF no primeiro fim de semana de setembro (dias 7 e 8) para a sua 12.ª edição.

Na primeira noite, dia 7, atuarão Mão Morta, precedidos da pianista Joana Gama que atua de novo no dia seguinte, às 18h00. Dia em que, à noite (21h30), atuarão a brasileira LaBaq  e Scout Niblett.

A 15 de setembro, a programação passa para o interior do CCVF com Olga Roriz a apresentar “A meio da noite” (21h30), uma homenagem da coreógrafa a Ingmar Bergman, no ano das celebrações do centenário do nascimento do realizador sueco. No final do espetáculo, a coreógrafa junta-se ao público no foyer do Grande Auditório do CCVF para um momento de conversa e partilha aberto a todos os presentes.

Nos dias 16 e 17 de setembro, o Teatro Oficina, em colaboração com o serviço de Educação e Mediação Cultural, abre as portas do CCVF para levar o público a descobrir “Do avesso”, uma visita performativa, para investigar o que se esconde atrás do que está por trás – o que não se vê, o que não está em cena.

No domingo (16 de setembro), a estreia está marcada para as 17h00. Na segunda-feira (17 de setembro), haverá duas sessões para escolas, a primeira às 10h30 e a segunda às 15h00, que carecem de marcação prévia através do telefone 253 424 700 ou do e-mail mediacaocultural@aoficina.pt .

A música volta a fazer-se ouvir a 22 de setembro, com a estreia nacional de MODS Collective Meet Cecil Satariano que chega a Guimarães depois da apresentação no âmbito do programa de Valletta 2018 – Capital Europeia da Cultura.

Na última semana do mês, a celebração alarga-se intensamente ao teatro com a companhia mala voadora a viajar até ao Grande Auditório do CCVF para apresentar o díptico de peças “Moçambique” (no dia 27) e “Amazónia” (no dia 29).

Entre os dias 24 e 26 de setembro, aproveitando a presença da mala voadora em Guimarães, o CCVF dá, ainda, a oportunidade de conhecer de perto os processos de trabalho e criação dos seus diretores, o ator e encenador Jorge Andrade e o cenógrafo José Capela, através de uma oficina dirigida a criadores e encenadores.