Centro Multimeios de Espinho acolhe Dragão

A exposição temporária Nesta Casa Mora o Dragão é uma ideia original do Museu FC Porto e um projeto que partilha história azul e branca em parceria com Filiais e Delegações do clube. Desta feita, o Dragão vai morar em Espinho, já a partir de 24 de janeiro e por lá vai ficar até 26 de fevereiro. Depois da Casa do FC Porto Marco de Canaveses/Museu Municipal Carmen Miranda e da Casa do FC Porto de Alfândega da Fé/Casa da Cultura Mestre José Rodrigues, a exposição leva o Museu FC Porto a associar-se à Casa do FC Porto de Espinho e a apresentar história, peças e documentos da coleção do FC Porto em mais um espaço de referência cultural e pedagógico como o Centro Multimeios de Espinho. O evento é dirigido a todas as idades e a entrada é livre.

Peças originais, documentos, fotografias e outras curiosidades saídas do espólio portista vão preencher a nova Casa do Dragão, para conhecer de 24 de janeiro a 26 de fevereiro, na Galeria do Centro Multimeios, em Espinho. Com entrada livre, o evento tem o apoio da Câmara Municipal de Espinho e ADCE/Centro Multimeios de Espinho e envolve a Casa do FC Porto local. A iniciativa acontece precisamente quando decorrem celebrações dos 20 anos da inauguração da Casa do FC Porto de Espinho. Assim sendo o Dragão visita esta emblemática cidade do distrito de Aveiro, promovendo um importante momento no programa de comemorações, além de descentralizar a divulgação e o acesso à riqueza e diversidade do espólio portista, aproximando-o ainda mais dos diferentes públicos.

Nesta Casa Mora o Dragão partilha, na globalidade do evento, mais de um século de memória e várias curiosidades do passado azul e branco, sem esquecer afinidades e personalidades que se cruzam na história do FC Porto e da cidade de Espinho. Uma bola de futebol de 1924, uma outra de voleibol de 1980, um conjunto de sticks de hóquei em patins, uma placa da Federação Portuguesa de Futebol comemorativa do Pentacampeonato conquistado pelo FC Porto em 1999 ou uma camisola utilizada por José Maria Pedroto ao serviço da Seleção de Portugal na década de 1950 são apenas algumas das preciosidades a descobrir neste evento, onde também é possível apreciar uma réplica do troféu da Taça UEFA/Liga Europa conquistado pelos Dragões em 2003 e 2011.

O passado em imagens é outra das fortes razões para visitar a exposição e conhecer o olhar de cinco repórteres-fotográficos acompanharam o quotidiano portista (e portuense) nas últimas décadas do século XX. Bruno Neves, Gaspar de Jesus, Malacó, Manuel Lopes e Ricardo Pereira foram profissionais da arte de informar através da fotografia desde os tempos do jornalismo a preto e branco até à revolução cromática na imprensa, sem excluir o salto tecnológico para a era digital.