Estive quase morto no deserto… e as ilhas Cíes aqui tão perto

Se quer dar uma escapadinha de um dia ou dois à Galiza, nada melhor do que ir às Cíes, as ilhas dos deuses, nas Rias Baixas, em Vigo.

Uma excursão às ilhas Cíes oferece-lhe caminhadas, praias imaculadas, falésias, águas límpidas e uma rica fauna marinha.

Estas ilhas situam-se à entrada da ria de Vigo, e são conhecidas desde a antiguidade, sendo qualificadas de “destemidas” pelo imperador romano Júlio César quando as visitou, como “ilhas dos deuses” pelo geógrafo Plínio. Heródoto mencionou-as nos seus livros de viagem, o pirata Francis Drake também as terá visitado. Fazem parte do Parque Nacional Marítimo-Terrestre das Ilhas Atlânticas, juntamente com Ons, Sálvara e Cortegada e o espaço marinho que os rodeia, e são um dos tesouros mais preciosos da Galiza.

Dos quatro arquipélagos que formam este Parque, o de Cíes, o mais espetacular, e é composto por três ilhas: a do Sul, ou San Martiño, de acesso só por barco privado; a do meio, ou de Faro, e a do Norte, ou Monteagudo. As duas últimas estão ligadas pela praia de Rodes, “a melhor praia do mundo”, segundo o jornal britânico The Guardian, em 2017.

A única maneira de chegar às ilhas Cies é por mar, a partir dos portos de Vigo, Cangas ou Baiona. Pode ir a nado, mas talvez não tenha forças para lá chegar.

Na Páscoa e no verão, os barcos partem diariamente, e em menos de uma hora, atracam nas ilhas de Monteagudo e O Faro. Apenas 2.200 visitantes são permitidos por dia, por isso é aconselhável reservar um lugar com antecedência, especialmente durante o verão. Pode comprar os bilhetes on-line e, assim, garantir a viagem através de companhias de navegação como Mar de Ons ou Nabia Naviera .

Felizmente (ou não), na ilha não há hotéis, mas pode-se passar a noite no acampamento gratuitamente, sendo que há apenas três bares onde comer alguma coisa.

Outra opção é alugar um barco em Vigo, numa das várias empresas de aluguer de barcos com ou sem skipper, como Merak Náutica , onde pode alugar um barco por cerca de 400€, por meio dia, para 12 pessoas.

Chegado lá, pode decidir-se por fazer caminhadas pelas ilhas, descobrir as praias, fazer um passeio de barco ou mergulhar cercado golfinhos. Mas, antes de escolher, talvez seja melhor passar pelo Centro de Interpretação do Cies, localizado na ilha de Faro, a pouco mais de um quilómetro da doca de Rodes. Aí, além de visitar uma exposição e visualizar algumas projeções, são fornecidas informações nos stands que permitem também a observação de aves.

A caminhada mais popular é aquela que começa na Praia de Rodes e se faz, subindo até ao miradouro do Monte Faro. São sete quilómetros de caminhada para ter uma vista panorâmica espetacular do arquipélago, não sem antes passar pela Pedra do Sino, perfurada pela força dos ventos.

Outras caminhadas igualmente fabulosas são as que levam até ao farol de Porta, ou ao cimo do Príncipe, com vistas espetaculares das falésias da Silla de la Reina (Cadeira da Rainha), uma formação rochosa peculiar.

A praia de Rodes é uma área arenosa em frente ao estuário de Vigo, com cerca de um quilómetro de areia fina e branca e águas cristalinas que une as ilhas de Monteagudo e Faro.

Além de Rodes, as ilhas Cies têm outras oito praias plenas de beleza e dignas de admiração, a saber: a de Figueiras (também chamada dos alemães), Nosa Señora, Bolos, Cantareira, Margaridas, Muxieiro e San Martiño, a mais abrupta (a que só pode aceder-se de barco particular).

Embora a excursão às Cíes possa ser feita de muitas maneiras e até por iniciativa própria, a melhor forma de descobrir as ilhas é a bordo de um navio, contornando seus penhascos inacessíveis, observando as baleias ou a fauna marinha, especialmente as gaivotas, verdadeiras donas das ilhas. Um número infinito delas – especialmente gaivotas de patas amarelas, com a maior colônia do mundo – povoam a encosta voltada para o oeste, a mais íngreme.

Mais informação

Parque Nacional das Ilhas Atlânticas

Rías Baixas