Coaching atenua sintomas de hiperatividade e défice de atenção no adulto

A Unidade Psiquiátrica Privada de Coimbra (UPPC) disponibiliza uma consulta de coaching para adultos com Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA). Esta terapêutica visa promover o bem-estar da pessoa e ajudá-la a gerir as limitações ou fragilidades associadas à doença.

O impacto da consulta de coaching nos adultos que sofrem de PHDA. “A pessoa que sofre de PHDA confronta-se frequentemente com dificuldades em diversas áreas funcionais, nomeadamente ao nível académico, vocacional, emocional e interpessoal, resultantes da interferência sintomatológica desta perturbação, que é particularmente notória no que respeita às competências de planeamento, gestão do tempo, definição de objetivos, organização e resolução de problemas”, explica Gisela Gracioso, psicóloga da UPPC responsável por esta consulta.

Para fazer face a estas dificuldades, acrescenta a especialista, “esta consulta foca-se no desenvolvimento de competências práticas que ajudam o indivíduo a ultrapassar as necessidades do dia a dia, para assim melhorar diversos aspetos da sua vida, como o stress, o controlo emocional, a gestão do tempo e concentração, a autoestima, e muito mais”.

Após o processo de definição de objetivos e de psicoeducação, a intervenção dura entre 10 a 20 sessões, e termina com a avaliação dos ganhos terapêuticos. Nesta fase, o psicólogo, em conjunto com o paciente, decide se é necessária uma redefinição das necessidades de intervenção ou se o processo de acompanhamento se conclui.

A PHDA é uma doença neuropsiquiátrica crónica na qual se verificam alterações no funcionamento cerebral e cognitivo, que resultam na desatenção, agitação motora e impulsividade invulgares para a idade do indivíduo. Estima-se que cerca de quatro por cento dos adultos sofre desta perturbação. Os sintomas mais comuns são a desorganização e incapacidade de foco, a inquietação motora, a tomada de decisões precipitadas, a dificuldade em realizar atividades que requeiram calma e esforço mental, a comunicação excessiva, entre outros.