Congresso internacional Saramago 20 anos depois do Nobel

O Convento São Francisco, em Coimbra, acolhe, de hoje, 8 de outubro, a quarta-feira, 10 de outubro, o congresso internacional "José Saramago: 20 anos com o Prémio Nobel".

O congresso, organizado pelo Centro de Literatura Portuguesa (CLP) da Universidade de Coimbra e pela Câmara Municipal, pretende fazer “uma atualização do conhecimento em torno do escritor, nestes 20 anos subsequentes à atribuição do Prémio Nobel da Literatura e também naqueles que se seguiram à sua morte, em 2010” e abrir “novas pistas de análise da obra de Saramago, especialmente em âmbito académico”, sublinhou o coordenador da comissão executiva do congresso, o professor Carlos Reis.

De acordo com a FLUC, do programa constam conferências plenárias por docentes da Universidade do Rio de Janeiro, Universidade de Leeds, Universidade de Bolonha, realizando-se ainda três mesas plenárias centradas nos temas “Personagens e identidades”, “Diálogo sobre Deus e Saramago” e “Outros Saramagos: ‘transmediações’”.

A dimensão da “ilha desconhecida”, em Saramago, as “cartografias imaginárias” e “representações de espaços distópicos”, num paralelo entre o escritor português, o angolano José Eduardo Agualusa e o brasileiro Ignácio Loyola de Brandão, a “glória das personagens” do Nobel da Literatura (“figuras impalpáveis merecedoras de estátua”), alegorias, religião e mito em “As intermitências da morte”, as “estratégias narrativas em José Saramago”, a “forma estética e consciência histórica”, na sua obra, assim como “o conceito de cidadania” são temas em discussão ao longo dos próximos três dias.

Serão apresentadas cerca de 60 comunicações e deverão participar mais de 300 pessoas, entre docentes, investigadores, alunos e público em geral. O encerramento do congresso estará a cargo da presidente da Fundação José Saramago, Pilar del Río, sendo posteriormente apresentada uma adaptação dramatúrgica de “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, pela companhia Éter.

O congresso “José Saramago: 20 anos com o Prémio Nobel” conta com o apoio da Universidade de Coimbra, da Fundação José Saramago e da Porto Editora.