Cozinhar no microondas faz ou não mal?

“Mitos Alimentares”, o novo livro do médico italiano Marcello Ticca, desmistifica mais de 99 ideias sobre alimentação. E o microondas está na lista.

É daquelas pessoas que de cada vez que põe alimentos no microondas fica com receio de que possa estar a prejudicar a sua saúde e a dos seus? Acabe de vez com esses receios e dúvidas. Afinal é mais seguro do que poderá pensar. Descubra os motivos.

“Mitos Alimentares”, o novo livro do médico italiano Marcello Ticca, desmistifica mais de 99 ideias sobre alimentação. Chocolate e ovos foram os dois primeiros alimentos a serem testados naquilo que seria o primeiro microondas. Corria o ano de 1945 e hoje já ninguém (ou quase ninguém) vive sem microondas.

Será que ele faz mal à saúde?

O novo livro “Mitos Alimentares“, de Marcello Ticca, médico, professor e especialista em Ciências da Alimentação, que é também vice-presidente da Sociedade Italiana de Ciências da Alimentação e membro da Sociedade Italiana de Nutrição Humana, responde a isso. Na opinião do especialista, isto “é uma vantagem para a conservação do valor nutritivo dos alimentos, devido à curta exposição a elevadas temperaturas e à ausência de perdas de dissolução dos caldos”.

Este tipo de cozedura baseia-se na ação das ondas eletromagnéticas de alta frequência, que são produzidas por um dispositivo especial (o magnetrão) e que pertencem à mesma família do rádio. Na prática, o que interessa saber é que o microondas aquece cerca de cinco vezes mais depressa do que os métodos convencionais (gás ou eletricidade) e que pode atingir temperaturas muito elevadas — mas por curtos espaços de tempo. O médico destaca a irrelevante variação de sabor e cor, bem como o uso de menos gordura, sal e condimentos.

A única desvantagem é que em temperaturas extremamente elevadas durante um longo período de tempo, o alimento pode ficar bem cozido no exterior e pouco no interior. Mas “que fique bem claro que os microondas não são, de forma alguma, cancerígenos” e “não são sequer ionizantes e, por isso, não tornam os alimentos radioativos”.

Na hora de aquecer ou cozinhar comida, lembre-se apenas que deve optar por vidro, porcelana, cerâmicas e papel.

O primeiro microondas de cozinha tinha 1m70, 340 quilos e custava o equivalente a 41.500€. Nasceu em 1945, quando um engenheiro chamado Percy LeBaron estudava uma tecnologia que, durante a Segunda Guerra Mundial.

O primeiro microondas foi utilizado para detetar aviões inimigos, nos dias de hoje, este eletrodoméstico é, talvez, uma das melhores invenções de sempre da cozinha!