Curtas de Vila do Conde – Um festival para ver e estar

Um ano depois de ter comemorado um quarto de século, o Curtas continua a quebrar fronteiras. Até 22 de julho, o lugar onde o cinema (não) se esconde, fica no Norte, é em Vila do Conde.

Cumprindo com um dos seus principais objetivos, o da divulgação do cinema que não é visto noutro lugar, em 2018, o Curtas Vila do Conde volta a apresentar uma programação eclética que cruza os universos dos filmes, da música e das artes plásticas.

Para esta 26ª edição, o festival aposta em realizadores emergentes, cujo trabalho se tem vindo a consolidar, na última década, no panorama internacional do cinema de autor. Falamos de já presentes em edições anteriores, Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, com “Diamantino”; Yann Gonzalez, com “Un Couteau dans le coeur”; Nadav Lapid, cokmj “In Focus”, cuja obra será alvo de uma retrospetiva integral.

As Competições Internacional e Nacional permanecem o foco principal do festival, reunindo o melhor da produção de curtas-metragens do último ano numa seleção de filmes que pretende dar a ver as várias vertentes do cinema contemporâneo. Animações, ficções e documentários provenientes um pouco de toda a parte – do Paquistão à Finlândia, da Roménia aos Estados Unidos da América – integram a programação. O programa inclui ainda competições destinadas ao cinema experimental e aos vídeos musicais.

O Curtas Vila do Conde apresenta um programa dentro e fora de fronteiras geográficas, mas também disciplinares, que, além do cinema, integra a música, com filmes-concerto e espetáculos inéditos e performances musicais e de live vídeo, como os Black Bombaim e João Pais Filipe, Joana Gama e Luís Fernandes; a compositora norte-americana Moor Mother junta-se a Jonathan Uliel Saldanha (HHY & The Macumbas) num projeto audiovisual inédito que terá como base a estética afro-futurista do filme de Sun Ra, “Space is the Place”. A programação junta ainda dois fenómenos musicais portugueses da última década a dois clássicos do cinema: B Fachada tocará para The Cameraman, do incontornável Buster Keaton, e os Linda Martini para “La Coquille et le Clergyman”, de Germaine Dulac, um dos primeiros filmes da vanguarda francesa dos anos 20.

A exposição New Spain, patente na Solar – Galeria de Arte Cinemática – comissariada por Nuno Rodrigues e José Manuel Lopez, reúne obras de sete artistas espanhóis – Carla Andrade, Inés García, Laida Lertxundi, Lois Patiño, Natalia Marín, Samuel M. Delgado e Helena Girón – que exploram as noções de paisagem, intimidade e território, aliando meios tão diversos como o filme, o vídeo, a fotografia e o som, e desafiando os limites do cinema e das artes plásticas.

O cineasta israelita Nadav Lapid é o realizador em foco nesta 26ª edição, que regressa a Vila do Conde, depois de em 2016, ter vencido o prémio principal do festival com a curta-metragem “From the Diary of a Wedding Photographer”. Formado em literatura, filosofia e cinema, o realizador, será alvo de uma retrospetiva integral, apresentando também uma master class, no âmbito da 3ª edição do Workshop de Crítica de Cinema.

Durante o festival, apresentamos três workshops dedicados às imagens em movimento: Crítica de Cinema, com masterclasses de convidados especiais; Cinema Expandido, orientado por Adriana Vila e Luis Macías; e Stereo (‘live video’ em contexto musical), orientado por André Tentugal e Vasco Mendes, numa parceria com a MAD Summer School.

Como já é habitual, o festival reserva ainda um programa para os mais novos. O Curtinhas integra sessões destinadas a crianças entre os 3 e 10 anos, além de workshops e oficinas de brinquedos em papel e pixilação.

Para os pais cinéfilos participarem das sessões há um espaço infantil com monitores onde os seus filhos podem ficar em conforto e segurança.

Ao longo da semana, há ainda momentos de debate e reflexão em vários encontros, de entrada gratuita, com os realizadores em competição (Internacional, Nacional, Experimental e Take One!) e os artistas em exposição (New Spain). No final de cada dia do festival, haverá também tempo fazer a festa dos dois bares oficiais do Curtas Vila do Conde: Cacau e Barcearia.