Dança, cinema e Momentos fantásticos com o Património

A entrar na reta final desta terceira edição do 365 Algarve, os monumentos vão ganhar mais vida com mais uma sessão do projeto Momentos Fantásticos com o Património – Mar Global. A Fortaleza de Sagres, em Vila do Bispo e o Castelo de Aljezur, vão receber uma projeção de videomapping, criada de propósito para cada local. A mais recente coreografia de Madalena Vitorino, EVA PORO #2 estreia-se na Bordeira (Aljezur) e Tavira recebe mais uma edição de VIDEO LUCEM, com dois filmes resgatados do esquecimento e acompanhamento musical de Cristina Branco.

O programa Momentos Fantásticos com o Património volta com duas impressionantes projeções de videomapping. A colossal monumentalidade da Fortaleza de Sagres será celebrada com o espetáculo Mar Global, criado especificamente para o local, em que a história e o contexto geográfico serão refletidos nas muralhas. A partir de cenários do século XV, vamos ter a oportunidade de observar embarcações da época e várias referências ao papel da fortaleza, ao longo da nossa História.

Esta viagem visual vai ainda levar-nos às profundezas do mar onde poderemos ver a fauna e a flora, assim como os vários despojos de naufrágios, desvendando o rico património cultural da região. Os espetadores são assim convidados a descobrir os caminhos da misticidade e da magia deste local. A 17 de maio, não pode perder, nas muralhas da Fortaleza de Sagres, em Vila do Bispo.

As muralhas de um dos mais impressionantes castelos algarvios, o Castelo de Aljezur, vão ganhar nova vida com o Mar Global, dia 19 de maio. Contando histórias, desde o período islâmico até à época em que a Ribeira de Aljezur era navegável, a video projeção vai também celebrar o contributo que Aljezur possa ter tido no início das primeiras expedições marítimas portiguesas.

Nas paredes desta tão importante e antiga edificação, poderemos ainda ver reflectida a indissociável relação entre o Castelo de Aljezur, a Vila e o cenário natural e paisagístico em que se inserem. Um enorme espetáculo de luz e cor que comemora a antiguidade e importância deste local.

Os dois espetáculos têm entrada gratuita e exibições às 20h, 20h30, 21h e 21h30.

A coreografia EVA PORO #2 é a segunda de três criações transdisciplinares que abordam, a partir de vários prismas e géneros, o assunto do desaparecimento e que se engloba na programação de Lavrar o Mar.

Esta nova criação de Madalena Vitorino, estreia-se a 17 de maio, na Bordeira e traz a investigação sobre o desaparecimento, iniciada em EVA PORO#1 para um cenário interno: o interior do corpo. Madalena Vitorino, André Duarte e convidados perseguem o ar que sopra nas coisas vivas: a pele, os pulmões, a terra e até a galáxia, tudo corpos com uma respiração própria. Este é também um espetáculo sobre como a fragilidade promove a descoberta de novos e improváveis espaços vitais e sobre a resiliência enquanto tentativa de nos respirarmos para dentro do outro

Madalena Vitorino volta a mostrar uma criação de forte componente comunitária, marcadamente musical, na qual um homem compõe partituras voláteis em conjunto com os sopros de uma mulher. Um espetáculo também fortemente feminino que conta com outras mulheres, meninas e animais (éguas, javalis, cadelas), que corporificam uma performance poética.

Entre 17 e 19 de maio e a 31 de maio, 1 e 2 de junho, na Bordeira. Os bilhetes estão à venda em Monchique, na Biblioteca Municipal, em Aljezur, na Casa Lavrar o Mar (Rua João Dias Mendes) e aqui. É recomendado calçado confortável e roupa adequada para caminhar cerca de 15 min até ao campo onde se fará a apresentação de EVA PORO#2.

A tour de VIDEO LUCEM traz-nos agora Algarve, uma pequena pérola do cinema português e The River, um filme que esteve perdido e que vai ter o acompanhamento ao vivo por Cristina Branco.

Dia 17 de maio na Parada do Quartel Militar de Tavira, é exibido Algarve, de Amélia Borges Rodrigues, um nome desconhecido de uma realizadora que, entre 1934 e 1937 terá produzido e/ou realizado 35 filmes sobre regiões de Portugal. Os filmes foram exibidos no nosso país, no Brasil e nas colónias africanas. Caso raro, na cinematografia portuguesa, Borges Rodrigues planificava o filme, escrevia a música e fazia a montagem. É uma figura ainda enigmática: uma mulher que não figura na história do cinema português e que, ainda assim, nos anos trinta, em que não era comum haver mulheres cineastas, fez uma grande quantidade de filmes em pouco tempo, sem que seja claro quem os terá financiado, porquê e com que objectivo. Nesta sessão de VIDEO LUCEM é exibido o seu filme, Algarve, de 10 minutos.

Na segunda parte poderemos ver The River (Frank Borzage, 1928), uma fita que esteve perdida e que foi recentemente descoberta e restaurada. Apesar de não estar completa, é exibida com a indicação das cenas em falta. Ainda assim, o talento de Borzage consegue transparecer nesta história da iniciação ao amor, entre um jovem viajante e uma mulher experiente. Um filme com uma aura de erotismo subtil e elegantes interpretações que, nesta exibição terá acompanhamento ao vivo de Cristina Branco. A sessão, dia 17 de maio, no Quartel Militar de Tavira, tem já os bilhetes, de 7,5€, à venda aqui.

Nesta terceira edição de VIDEO LUCEM poderá ainda usufruir da experiência CineCultural & Food Tour, um roteiro histórico-cinematográfico que articula a memória do cinema com a história, o patromónio cultural e a gastronomia local.  Os bilhetes, de 49€, incluem o jantar e a sessão e estão à venda aqui.