Dançar para não envelhecer!

A revelação é feita pelo jornal Frontiers in Human Neuroscience que diz que “as pessoas idosas que praticam rotineiramente exercício físico podem reverter os sinais de envelhecimento no cérebro”. E ao que parece, a Dança tem o efeito mais profundo. É sabido que à medida que envelhecemos, sofremos um declínio na aptidão física e mental, no entanto este estudo, liderado por Kathrin Rehfeld esclarece que “há dois tipos diferentes de exercícios físicos (dança e treinamento de resistência) que aumentam a área do cérebro que diminui com a idade. Comparando ambos os exercícios, foi apenas a Dança que levou a mudanças comportamentais visíveis em termos de equilíbrio melhorado “.

O que agora Rehfeld e a restante equipa de investigação pretendem é, a partir da pesquisa, ensaiar novos programas de fitness que têm o potencial de maximizar os efeitos antienvelhecimento no cérebro.

“Eu acho que a Dança é uma ferramenta poderosa para estabelecer novos desafios para o corpo e a mente, especialmente na idade avançada”, conclui o investigador, do centro alemão de Doenças Neurodegenerativas, Magdeburg, na Alemanha.