De manhã cinema e literatura, à tarde música

É o mês de abril que está a chegar e com ele chegam ao Algarve dois festivais. Um que se estreia, explorando o cruzamento entre cinema e literatura. O outro, já celebrado e muito aguardado festival de música que oferece a toda a região a oportunidade de acesso a concertos da mais elevada qualidade.

O Festival Internacional de Cinema e Literatura de Olhão (FICLO) estreia-se em vários locais do município, entre 4 e 13 de abril. Este evento singular a nível europeu homenageia a realizadora soviética Kira Muratova, recentemente falecida (2018). Considerada a mais idiossincrática realizadora do cinema russo contemporâno, Muratova nunca teve uma retrospectiva tão abrangente no nosso país.

Esta primeira edição tem como país convidado a Suécia. A Competição Internacional vai permitir um olhar para a cinematografia de países tão diversos como o Cazaquistão, Sérvia, Espanha, Ucrânia ou a República Checa, incluíndo dez filmes inéditos ou sem estreia comercial em Portugal. O FICLO estendeu ainda um convite aos escritores Alexandra Lucas Coelho, Gonçalo M. Tavares e Nuno Mourão para participarem na Obra Criativa do Festival, com criações em diálogo com as imagens de três filmes mudos.

O Festival começa no dia 4 de abril, no Auditório Municipal de Olhão, às 19h, com a exibição de “The Gentle Indifference of the World”, filme do cazaque Adilkhan Yerzhanov, que esteve em exibição no Festival de Cannes, em 2018. O realizador estará presente na sessão e o filme servirá ainda de inspiração a um Menu Fílmico, concebido pelo Chef Adérito Almeida, que será servido após a sessão.

Para além da programação cinematográfica, o FICLO vai oferecer ainda Masterclasses, oficinas, Instalações, Performances, Leituras e Concertos e Passeios Fílmicos, roteiros turísticos, oferecidos em parceria com a Tuk Tuk de Olhão e Tavira. Nestes percursos o público pode percorrer locais da região que serviram de cenário a filmes de Manoel de Oliveira, João César Monteiro, Teresa Villaverde ou Tony Gatlif.

De regresso está o FIMA — Festival Internacional de Música do Algarve, que nesta sua trigésima quarta edição retoma a missão de promover o acesso à música erudita. A partir de 31 de março e até 31 de maio o FIMA será anfitrião de 14 concertos, por toda a região. Entre os convidados estão músicos e agrupamentos como o celebrado Jordi Savall & Hespèrion XXI, o percussionista Jean-François Lézé e a Orquestra do Norte com o maestro Jan Wierzba e o violoncelista Marco Pereira.

À Orquestra Clássica do Sul, o único agrupamento profissional a sul do Tejo, vão-se ainda juntar artistas de renome internacional como o maestro Maxime Tortelier, os violinistas Daniel Satabrawa e Christoph Koncz, o violetista Máté Szücs, o violoncelista Jed Barahal, a soprano Dora Rodrigues e também agrupamentos como o Grupo Vocal Olisipo e o P.L.I.N.T. – Pablo Lapisusas International Trio.