Doença renal crónica afeta 8 a 10% da população

Estudantes seniores aprendem a prevenir doença renal. A Associação Nacional de Centros de Diálise (ANADIAL) vai promover uma aula aberta sobre a doença renal, no próximo dia 1 de fevereiro, na Universidade Sénior do Montijo.

A iniciativa surge no âmbito da campanha “A vitória contra a doença renal começa na prevenção” e pretende envolver, até ao final do ano, mais de 500 estudantes seniores.

“Esperamos com esta campanha de consciencialização sobre a doença renal crónica contribuir para incentivar, principalmente, os mais seniores para a importância de cuidarem e protegerem os seus rins, com a adoção de um estilo de vida mais saudável. Está demonstrado que a melhor forma de reduzir a incidência da doença renal crónica é a promoção de programas de prevenção, onde se inclui a nossa campanha” explica Jaime Tavares, presidente da ANADIAL.

A campanha “A vitória contra a doença renal começa na prevenção” conta com o apoio da Associação de Doentes Renais de Portugal, da Associação Portuguesa de Enfermeiros de Diálise e Transplantação, da Associação Portuguesa de Insuficientes Renais, da Sociedade Portuguesa de Nefrologia e da Sociedade Portuguesa de Transplantação.

A doença renal crónica carateriza-se pela deterioração lenta e irreversível da função dos rins. Como consequência da perda desta função, existe retenção no sangue de substâncias que normalmente seriam excretadas pelo rim, resultando na acumulação de produtos metabólicos tóxicos no sangue (azotemia ou uremia). Os doentes com diabetes, hipertensão arterial, obesidade e historial familiar de doença renal podem estar em risco de desenvolver esta doença.

Para prevenir a doença renal crónica, é necessário: vigiar o peso; ter uma alimentação saudável, com redução do consumo de gorduras e de sal, bem como das porções; deixar de fumar (os fumadores têm uma probabilidade três vezes maior de apresentar uma função renal diminuída); fazer exercício físico; controlar a hipertensão e a diabetes; não beber álcool; não proceder a automedicação; e fazer rastreios regulares.