Dormir pouco ou em demasia não é benéfico

Dormir cinco ou menos horas por dia representa uma taxa de mortalidade 65% superior à de quem dorme sete – dados revelados por uma equipa de investigadores, liderada por um cientista sueco.

Se é daquelas pessoas que na correria do dia-a-dia dorme pouco, então saiba que isso não é bom para a sua saúde. Mas calma, também temos uma boas notícias para lhe dar: o segredo pode estar no sono ao fim-de-semana. Ou seja, tente aproveitar esses dias para dormir mais e compensar as horas que não dormiu durante a semana.

Uma equipa de investigadores, liderada por um cientista sueco, acompanhou 38 mil adultos, durante treze anos, para conferir de que forma as horas de sono que dormimos podem ou não aumentar o risco de morte. O Journal of Sleep Research  lança agora as conclusões e tudo indica que os adultos com menos de 65 anos que dormem cinco ou menos horas todos os dias têm maior risco de morte, quando comparado com quem dorme seis a sete horas.

“A duração do sono é importante para a longevidade” — frisou Torbjörn Åkerstedt, principal autor do estudo, pesquisador do Instituto de Pesquisa sobre Stresse, na Universidade de Estocolmo, e do Instituto Karolinska da mesma cidade sueca.

Assim, o equilíbrio parece estar no sono do fim-de-semana, fundamental para os que dormem menos, tentando que o impacto negativo seja neutralizado.

Dormir demais também não é o ideal, pois outra conclusão do estudo é que, se dormir pouco é prejudicial, dormir demais também pode ser — embora em menor escala. As pessoas que dormiram por noite oito ou mais horas, ao longo dos sete dias da semana, apresentaram uma taxa de mortalidade 25% maior em comparação com aquelas que mantiveram a noite de sono em seis ou sete horas. Mas a ligação entre padrões de sono e mortalidade desaparece para pessoas com 65 anos ou mais. “

Por sua vez, Peirson, pesquisador da Universidade de Oxford, observa que os requisitos de sono variam de pessoa para pessoa, de acordo com a genética, mas lembra também que a “dívida de sono” precisa ser “paga”.