Dos pés à cabeça em New York

É o tudo por tudo para conquistar os Estados Unidos da América. Na bagagem, os portugueses levam roupa, joias, móveis, pastéis de nata e até vinho português. Uma experiência dos pés à cabeça.

De 22 a 24 de julho, é caso para dizer que Portugal esteve representado na América dos pés à cabeça. Três dias em que a indústria portuguesa de calçado viajou até Nova Iorque, num programa que juntou outros sectores da fileira moda. A música, essa, esteve a cargo do duo português Best Youth. Em cima da mesa estava uma meta bem definida: duplicar as exportações de sapatos “made in Portugal” para o maior importador de calçado do mundo até ao final da década, o que significa correr até aos 160 milhões de euros.

Alberto Castro é o autor dos últimos planos estratégicos da indústria portuguesa do calçado, que viu as exportações crescerem 55% desde 2010 e, por isso, à pergunta “Para onde vamos agora?”, não hesitou em responder “New York, New York”, recordando a icónica música de Frank Sinatra.

27 empresas lusas (18 do sector do calçado, 6do vestuário e 3da joalharia) marcaram presença no espaço coletivo na feira Market NY, da UBM Fashion NY Men´s and Women´s. 100 metros quadrados no Javits Center, totalmente dedicados a Portugal – o espaço suficiente “para mostrar a excelência da oferta nacional”, sob o nome do país, “Portugal”, exaltou a APICCAPS – Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos, enquanto falava sobre o impacto deste verdadeiro “showcase” de marcas portuguesas.

Neste evento houve ainda espaço para “reforçar a notoriedade da marca de Portugal” no Standard Hotel High Line, junto ao Chelsea Market, no coração de Nova Iorque. Aqui, a moda portuguesa teve oportunidade de se apresentar ao mercado americano acompanhada de gastronomia, vinhos e móveis nacionais da Boca do Lobo, ao som da música dos Best Youth.

É a hora de dar tudo por tudo, conquistando a América e provando que os portugueses podem vestir os americanos dos pés à cabeça! Para o vestuário, para a joalharia e para o calçado, os Estados Unidos são um mercado importante e que todos ambicionam ter no ranking dos melhores clientes. Juntos, os três sectores representam mais de 5 mil milhões de euros nas exportações portuguesas, com o vestuário a contribuir com 3,1 mil milhões de euros, o calçado a valer 1,96 mil milhões e a ourivesaria a somar 100 milhões ao total.