Educação 4.o? O que é?

É uma Educação que responde às necessidades da “Indústria 4.0” ou da também chamada quarta revolução industrial, onde a linguagem computacional, a Internet das Coisas, a Inteligência Artificial, os robôs e muitas outras tecnologias se somam para dinamizar os processos nos mais diversos segmentos da Indústria.

Educação 4.0: de acordo com os dados apresentados no “The Global Summit 2017”, o futuro da Educação, baseia-se no conceito de “Learning by doing”, ou seja, aprender fazendo. Este conceito sugere que todos, a escola incluída, vamos aprender coisas diferentes e de maneiras diferentes, por meio de experiências, projetos, testes e muita “mão na massa’’.

Já o relatório de “The New Work Order”, divulgado pela “Foundation for Young Australians” (FYA), confirma que, num futuro próximo, o trabalho humano será substituído por robôs e pela AI (inteligência artificial). Aliás, segundo o estudo, mais da metade dos estudantes da Austrália, estão a escolher profissões que se tornarão obsoletas brevemente pelos avanços tecnológicos e automação. Assim, o estudo recomenda que se dê mais ênfase às habilidades digitais e ao empreendedorismo na escola, além de aspetos como o trabalho colaborativo, o desenvolvimento de competências socio-emocionais criativas, a participação em projetos interdisciplinares e o desenvolvimento das habilidades relacionadas com as áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática.

Segundo os defensores da Educação 4.o, não é preciso simplesmente acumular conhecimento, não é preciso saber tudo. A análise de desempenho e da aprendizagem podem ser realizadas através de personalização baseada em dados inteligentes.

Aprenderemos juntos e uns com os outros. A aprendizagem será colaborativa, os professores são facilitadores que constroem comunidades em torno do aprendizado, talento e habilidades de seus alunos.

Um bom ponto de partida é a criação de ambientes inovadores propícios para o desenvolvimento de projetos que aproximem os alunos dessa nova realidade. Espaços onde os alunos aprendem fazendo e testando infinitas possibilidades!

A escola precisa incentivar uma nova cultura voltada para a inovação, a invenção, a resolução de problemas, a programação, a colaboração e a cultura “maker”.

Talvez seja assim! Mas não tão simplesmente! Ou tão somente!