Fundación Cepsa doa 50 mil euros a 4 associações portuguesas

A cerimónia de entrega dos Prémios ao Valor Social decorreu no auditório do emblemático Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa. Organizados pela Fundación Cepsa, os prémios distinguiram quatro associações de solidariedade social, num total de 65 candidaturas de projetos de promoção da inclusão e bem-estar de grupos de pessoas em situação de vulnerabilidade.

50 mil euros foi a verba que a Fundación Cepsa entregou a 4 associações de solidariedade social. As candidaturas vencedoras foram selecionadas por um júri composto por personalidades institucionais que trabalham no setor da ação social, por representantes da Cepsa Portuguesa e presidido por Conceição Zagalo, Vereadora na Câmara Municipal de Lisboa.  Os jurados distribuíram um donativo de 50 mil euros pelos projetos apresentados pela Associação de Ajuda ao Recém-Nascido Banco do BebéAssociação Algarvia de Pais e Amigos de Crianças Diminuídas Mentais, Agência Piaget para o Desenvolvimento e pelo Serviço Jesuíta aos Refugiados, que se destacaram pelas suas iniciativas de apoio domiciliário a recém-nascidos com complicações clínicas, terapias sensoriais e de educação para crianças com deficiência mental, desenvolvimento integrado para crianças e jovens institucionalizados e capacitação socioprofissional de migrantes e refugiados.

À semelhança das edições anteriores, os prémios contaram com o apadrinhamento dos projetos pelos colaboradores da Cepsa, que acompanham todas as fases de evolução do programa.

Na cerimónia estiveram presentes Ruth Breitenfeld, Vice-Presidente da Cepsa Portuguesa, bem como outros convidados institucionais, entre os quais: Marta Betanzos Roig, Embaixadora de Espanha em Portugal, Cecílio de Oviedo, Conselheiro Económico e Comercial na Embaixada de Espanha, Enrique Santos, Presidente da Câmara de Comércio Luso Espanhola, António Comprido, Secretário-Geral da APETRO e, ainda, Conceição Zagalo, Presidente do Júri dos Prémios ao Valor Social 2018 e Vereadora da Câmara Municipal de Lisboa.

Marta Betanzos Roig, Embaixadora de Espanha em Portugal, frisou: “Há três anos que a Fundação Cepsa foi criada e o seu percurso tem sido enormemente fortemente frutífero, tendo promovido ações nas áreas da cultura, ciência e educação, desporto e apoio social. Todas estas áreas se evidenciaram enormemente desde o início desta fundação e desejo, confio e tenho a certeza que no futuro será ainda mais. Todas as propostas que se candidatam para estes prémios têm a minha total consideração e o maior dos respeitos. Quero dar os parabéns e os mais sinceros agradecimentos às associações que se candidataram. A 65 candidaturas recebida demonstra-nos a cultura de apoio social que existe nesta terra e empresa, que é também espanhola.”

Conceição Zagalo, Vereadora da Câmara Municipal de Lisboa e Presidente do Júri dos Prémios ao Valor Social 2018, destacou: “A Cepsa é, em meu entender, um dos exemplos de referência de empresas que não são menores na hora de pensarem nos seus colaboradores e de ativamente participarem e contribuírem para as comunidades em que estão presentes. Em Portugal, os prémios ao Valor Social representam uma verdadeira fatia de leão no panorama social, ambiental, cultural e económico, pelo peso, seriedade, diversidade das áreas e organizações abrangidas ao longo dos anos, mas também pelo exemplo face a práticas congéneres noutras empresas no nosso país.”

Sobre os projetos, a Vice-Presidente da Cepsa Portuguesa Petróleos, Ruth Breitenfeld, acrescentou ainda: “Quero agradecer, antes de mais, o privilégio de poder fazer parte desta ação que, sendo jovem – tem dez anos em Portugal – é prova de vida de pessoas excecionais. É reconhecido o compromisso da Cepsa com Portugal, quer no âmbito da nossa atividade comercial, mercado em que continuamos a crescer e a apostar, quer no âmbito do nosso compromisso social. O nosso voto é que sejamos cada vez mais, os que de forma ativa fazem parte deste nosso movimento persistente de solidariedade, que também aqui consigamos aplicar os nossos valores de melhoria contínua e liderança, com a segurança e sustentabilidade sempre presentes como pano de fundo. Desejo que todos nós, em especial os felizes premiados, continuem a descobrir em cada ano a força e a alegria de prosseguir o excelente trabalho que desenvolvem.”

Os projetos distinguidos nas últimas edições incluem pessoas em situação de vulnerabilidade social, especialmente pessoas em situação de desemprego, dependentes de drogas, doentes, minorias étnicas, imigrantes, crianças, jovens e adolescentes, idosos, vítimas de violência doméstica, pessoas com incapacidade física ou intelectual e reclusos.

Em Portugal, em dez anos de existência, a iniciativa obteve mais de 592 candidaturas e apoiou cerca de 43 associações, o que representa mais de 450 mil euros destinados a ações sociais no âmbito destes prémios.