Granfondo Aldeias do Xisto

A 29 de setembro, a mítica Serra do Açor volta a receber o emocionante Granfondo Aldeias do Xisto. Na sua 8ª edição, este evento é composto por três percursos, com partida e chegada ao Fundão e passagem no concelho de Pampilhosa da Serra. Uma prova aberta a todos os amantes do ciclismo, para usufruir das paisagens e condições naturais de excelência que caracterizam as Aldeias do Xisto.

Tendo como cenário a Serra do Açor, o Granfondo Aldeias do Xisto prepara-se para mais uma prova repleta de emoção que desafiará os ciclistas a descobrir as paisagens de uma das regiões mais bonitas e acolhedoras do país. O Granfondo passará por alguns dos locais mais emblemáticos das Aldeias do Xisto, como a Barragem de Santa Luzia, as aldeias de Janeiro de CimaJaneiro de Baixo, ou o complexo das Minas da Panasqueira, colocando em destaque as potencialidades deste território para unir ciclismo, coesão territorial e produtos com visibilidade internacional, no contexto do projeto Cyclin’Portugal.

O Granfondo Aldeias do Xisto será composto por 3 distâncias: Granfondo (140km), Mediofondo (109km) e Minifondo (59km), sendo que todos estes se destacam por ser exigentes e desafiantes.

Rui Simão, diretor executivo da ADXTUR (Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto), salienta que «as Aldeias do Xisto foram promotores quando lançaram o primeiro Granfondo em Portugal, importando um conceito de prova aberta a todos. O Granfondo permite que qualquer pessoa possa viver um dia em ambiente típico de grandes provas. A qualidade dos traçados, a exigência dos circuitos e o profissionalismo com que esta prova sempre foi organizada são fatores que explicam o seu sucesso.»

 Explica também que o Grafondo Aldeias do Xisto é «uma prova emblemática porque traduz uma ambição das Aldeias do Xisto: criar valor e gerar mais atratividade, enquadrada numa estratégia assente em vários pilares. Por um lado, as condições naturais para a prática de ciclismo de estrada, quer pela sua dimensão cénica, quer pelos traçados. Por outro lado, o território está dotado de serviços especializados e vocacionados para esta prática desportiva, como a rede Bikotel ou os Centros BTT. A cultura de natureza e a relação com o espaço natural impulsiona-nos também a dinamizar eventos que convidam e incentivam todos a usufruir destas condições únicas. Este é o maior evento associado à bicicleta nas Aldeias do Xisto e tem trazido novas paisagens para o ciclismo, acolhendo provas nacionais e internacionais.»

Os viajantes procuram experiências diversificadas, nomeadamente no turismo ativo e desportivo, em perfeita simbiose com a natureza, e no Centro de Portugal podem encontrá-las – é uma das mais-valias da região.» Destacando o Granfondo como «um dos melhores cartões-de-visita que o Centro de Portugal pode oferecer», salienta ainda o facto do «Granfondo Aldeias do Xisto representa também uma oportunidade privilegiada para a Região Centro se mostrar. O ciclismo, modalidade que há poucos anos interessava a apenas alguns entusiastas é, hoje em dia, praticada por centenas de atletas, de todas as idades ou géneros. Não é uma moda passageira, é uma prática desportiva que chegou para ficar.»

Jorge Custódio, vice-presidente da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra, destaca a importância do Granfondo para a região: «esta prova tem trazido à Pampilhosa da Serra uma notoriedade e tem ajudado a cumprir o objetivo de sermos conhecidos como destino para a prática de desportos de natureza e pelas excelentes condições disponíveis para o efeito. Um dos fatores que tem diferenciado este Granfondo é o modo como recebemos e acolhemos os desportistas e todos quantos acompanham a prova. É como se de uma festa se tratasse.»

Já para Miguel Gavinhos, vice-presidente da Câmara Municipal do Fundão, «este é um dos maiores eventos desportivos da região, promovendo o Fundão e a rede das Aldeias do Xisto como um dos grandes projetos que este país viu nascer, não só do ponto de vista turístico, como também do ponto de vista social e cultural.»

António Queiroz, da Ultra Sports Spirit, destaca o facto de esta prova «oferecer a todos os amantes da modalidade viver por um dia o ambiente de uma grande prova e fazê-lo, não só em termos de desafio desportivo, mas também em comunhão com a paisagem e com as pessoas do território». A contar com a presença de cerca de 700 participantes, considera ainda que «estamos no caminho certo com esta aposta no turismo ativo e sustentável.»