Guimarães e Bragança estreiam-se na estrela Michelin

Há três novos restaurantes a ganharem uma estrela Michelin no guia de 2019 e entre eles há duas estreias: Guimarães e Bragança.

Guimarães e Bragança acabam de conquistar motivos deliciosos e irresistíveis para os turistas. As duas cidades estreiam-se no leque de distinções do famoso Guia Vermelho, com o Restaurante G, de Bragança, e o A Cozinha por António Loureiro, de Guimarães, a receberem uma estrela Michelin cada um. Pela primeira vez, Guimarães e Bragança estão no mapa das estrelas Michelin. A boa notícia foi comunicada durante a Gala Ibérica Michelin, que decorreu em Portugal pela primeira vez.

A cozinha de autor assente em produtos regionais de alta qualidade saiu valorizada no caso de Bragança, o Restaurante G está inserido na renovada Pousada de São Bartolomeu, um edifício de 1959 que ganhou nova vida pelas mãos de António e Óscar Gonçalves, dupla de irmãos, um gestor hoteleiro e o outro chefe de cozinha. E no Restaurante G, também se come com os olhos: a vista das janelas faz-se para o castelo e o centro histórico de Bragança. A viagem sensorial faz-se com bases no pão e azeite, cogumelos, carnes autóctones, frutos secos, ervas aromáticas e vegetais.

Na cidade berço, o prémio chega pelas mãos de António Loureiro com A Cozinha por António Loureiro. O chef é natural de Guimarães e regressou «a casa» há dois anos, depois de 20 anos a trabalhar fora da cidade minhota. É no Largo do Serralho que se encontra o restaurante, distinguido esta quarta-feira, dia 21, com uma estrela Michelin, a primeira de Guimarães. A carta é pequena, até porque a filosofia assenta na sustentabilidade, já que António procura aproximar-se do desperdício próximo de zero. Existem dois menus de degustação e uma sobremesa que não se pode perder à sobremesa é a sua reinvenção das tortas de Guimarães, uma homenagem à sobremesa mais popular da sua cidade.

Estes são dois dos três novos restaurantes portugueses incluídos no Guia Michelin 2019. O Midori, do Penha Longa Resort em Sintra, é o terceiro.

Além das novidades, de Norte a Sul de Portugal, com passagem pelo Funchal, juntam-se os 23 restaurantes que já tinham sido galardoados pela Michelin no ano passado. O destaque vai para o lisboeta Alma, de Henrique Sá Pessoa, que ganha mais uma estrela e acumula agora duas. Sá Pessoa junta o seu restaurante ao Belcanto, (Lisboa), ao Il Gallo d’Oro (Funchal), ao Ocean (Alporcinhos), ao The Yeatman (Vila Nova de Gaia) e ao Vila Joya (Albufeira) no leque dos restaurantes com duas estrelas Michelin.