Guimarães quer formação artística alargada e aplicada

Parceria entre o Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG) e a Universidade do Minho (UM) tem a ambição de fundar em Guimarães e em Portugal um modelo colaborativo inovador em torno de uma ideia de formação artística alargada e aplicada.

O objetivo passa por fundar em Guimarães e em Portugal um modelo colaborativo inovador em torno de uma ideia de formação artística ampla e aplicada. CIAJG e UM inauguram parceria entre as duas instituições.

Por ocasião da Conversa entre o artista Pedro A.H. Paixão e o filósofo Jorge Leandro Rosa a propósito da exposição antológica “Mundo Flutuante”, é inaugurado, a 27 de setembro, o Seminário conjunto Centro Internacional das Artes José de Guimarães / Licenciatura em Artes Visuais da Escola de Arquitetura da Universidade do Minho.  Nos dias 4, 5 e 6 de outubro, o CIAJG é também palco para o Colóquio Internacional Performance e Intimidade, organizado pelo Grupo de Investigação em Estudos Performativos da Universidade do Minho, em parceria com A Oficina e o Guimarães noc noc. É a concretização do primeiro passo de uma parceria alargada e aprofundada entre as duas instituições que tem a ambição de fundar em Guimarães e em Portugal um modelo colaborativo inovador em torno de uma ideia de formação artística ampla e aplicada.

O arranque desta parceria acontece por ocasião da Conversa entre o artista Pedro A.H. Paixão e o filósofo Jorge Leandro Rosa – que tem lugar no mesmo dia, 27 de setembro, às 18h30, no Gabinete de Desenho (Sala 4) – em torno da exposição “Mundo Flutuante”, patente no CIAJG.

Jorge Leandro Rosa, convidado para se juntar a Pedro A.H. Paixão nesta conversa aberta ao público, é filósofo, ensaísta, tradutor e foi professor, durante vinte anos, do ensino superior. Publicou dezenas de ensaios e artigos em revistas culturais nacionais e estrangeiras, tendo sido coeditor da revista Nada e colaborador dos jornais Público e O Independente. Atualmente é investigador integrado do Instituto de Filosofia da Universidade do Porto, tendo também lançado a Rede do decrescimento em Portugal.

Na semana seguinte, a 4, 5 e 6 de outubro, o CIAJG acolhe, ainda, o Colóquio Internacional Performance e Intimidade organizado pelo Grupo de Investigação em Estudos Performativos da Universidade do Minho, em colaboração com A Oficina e o Guimarães noc noc. A noção da intimidade tem múltiplas e contraditórias valências. É vista por um lado como o que não deve ser falado no espaço público, mas por outro como potencialmente partilhada. Os reality e talk shows convidam os participantes a expor a sua intimidade enquanto a sociedade global e tecnológica constroem a intimidade como um perigo para a reprodução do sistema capitalista. Qual é o papel da performance na construção e na subversão da intimidade?

O colóquio inclui sessões sobre intimidade e afetividade, intimidades relacionais, intimidades site-specific e espaço público, dramaturgias íntimas e intimidade em processos de criação/investigação que exploram a intimidade através de performances, workshops, intervenções e comunicações.

De lembrar que as exposições “Leopard in a Cage”, de Julião Sarmento, e “Mundo Flutuante”, de Pedro A.H. Paixão, permanecem patentes no CIAJG até 7 de outubro. A intervenção de Ann Hamilton pode ser visitada até 25 de novembro. O CIAJG se encontra aberto de terça a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 19h00. Aos domingos de manhã, a entrada é gratuita.