História da água Pedras vira museu

O novo museu dedicado à história de Pedras apresenta-se como um espaço museológico interativo e sensorial, composto por sete salas com atividades para adultos e crianças – portugueses e estrangeiros.

A água da marca Pedras foi considerada uma especialidade farmacêutica e a juntar a esta novidade, virou agora museu. Esta e outras curiosidades fazem parte da mais recente atração lúdico-turística do Pedras Salgadas Spa & Nature Park, na localidade Bornes de Aguiar. Trata-se de um espaço museológico interativo e sensorial, com atividades para adultos e crianças – portugueses e estrangeiros- uma vez que mais de 30% dos visitantes do parque já são de outras nacionalidades.

“Pedras Experience” – desenvolvido para dar a conhecer a história de Pedras já está de portas abertas. O Pedras Experience recria, por exemplo, um gabinete médico e um balneário termal, mostra como se vivia na região durante a monarquia e como a publicidade da marca Pedras tem vindo a evoluir. E quem visitar este espaço também terá direito a experiências de realidade virtual que permite entrar em diferentes épocas e cenários.

O Pedras Experience ocupa cerca de 370 metros quadrados, estando instalado no antigo edifício dos serviços sociais. De recordar que o Pedras Salgadas Spa & Nature Park foi projetado pelo arquiteto Luís Rebelo de Andrade e conquistou o prémio internacional de arquitetura ArchDaily 2012, na categoria “Hotéis e Restaurantes”. Localizado em Pedras Salgadas, construído a 580 metros de altitude, caracteriza-se pelo alojamento em modernas casas modulares (eco houses) que surgem por entre as árvores, perfeitamente enquadradas na natureza.

facebook.com/PedrasSalgadasSpaNaturePark

Um dos sites de arquitetura mais visitado do mundo escolheu 14 edifícios vencedores de uma lista inicial de cerca de 2700 projetos, eleitos por votação online (70 mil votos), entre os quais ficou apenas um projeto português: o  Pedras Salgadas Spa & Nature Park.

Para o ArchDaily, os edifícios vencedores são considerados “únicos em vários aspetos, das suas qualidades espaciais às suas estruturas e materiais, mas também em termos do que representam para a sociedade e do seu impacto para as comunidades locais”.