Idosos são mais perigosos ao volante

Generalizou-se a ideia de que os jovens, sobretudo por causa da velocidade elevada e das manobras perigosas, são os maiores causadores de acidentes ao passo que os mais idosos são mais prudentes e cautelosos. Parece que não é assim!

Um estudo científico, coordenado por uma equipa de investigadores de duas universidades da Alemanha e publicado no jornal científico suíço “Frontiers in Psychology”, mostra que a quebra de velocidade nos idosos é acompanhada de uma perda nas capacidades cognitivas, a partir dos 65 anos de idade, além da perda da capacidade para mudar de tarefa rapidamente. A conclusão é que os condutores mais idosos têm mais hipótese de causarem um acidente quando se distraem.

Para chegarem a esta conclusão, os investigadores criaram dois grupos, um composto por 63 pessoas com idades entre os 20 e os 30 anos, e outro composto por 61 pessoas com idades entre os 65 e os 75 anos, colocando ambos aos comandos de um simulador de condução.

Os condutores-participantes de cada grupo tiveram de seguir um automóvel virtual e adaptar a sua condução aos movimentos deste, ao mesmo tempo que tinham de realizar um conjunto de atividades de atenção aos vários sentidos, de atividade cognitiva e de reação corporal sob a forma de movimento.

Em todos os casos, verificou-se que os condutores idosos eram mais lentos, moviam-se mais dentro da faixa e alteravam mais a velocidade, sendo que esta diferença se acentuava quando era preciso realizar outras atividades que os obrigavam a tirar os olhos da estrada.  Neste caso, 78 por cento dos condutores idosos deixaram os carros deslizar para a berma, enquanto só o fez 40 por cento dos jovens, e 15 por cento dos idosos passaram por cima do traço contínuo, coisa que não aconteceu com nenhum dos jovens.

Vá lá! Jovem ou idoso conduza com cuidado!