Maridos piores que os filhos

Um estudo da Universidade de Pádua, em Itália, conclui que os maridos são quem verdadeiramente deixa as mulheres stressadas, mais do que os próprios filhos.

Três em cada quatro mulheres afirmaram que recaem sobre elas todas as obrigações do lar e de cuidar das crianças, não por que estas são pequenas e dão, naturalmente, trabalho, mas por falta de cooperação dos seus maridos ou parceiros.

Além disso, as mulheres empenham-se mais em resolver problemas e discussões, gastam mais tempo e dinheiro para manter uma boa aparência quando estão numa relação, são mais abertas e melhores a socializar, envolvendo-se em mais atividades, são mais propensas a ter uma rede de amigos próximos a quem podem recorrer em caso de necessidade.

Ainda relativamente aos maridos, o estudo revela que a maioria das mulheres sente que é como se fosse mãe dos maridos, por estes se comportarem como os filhos, ou pior.

Em geral, quando estão solteiras as mulheres são mais felizes que os homens na mesma condição. No entanto, o estigma em relação às mulheres solteiras está a diminuir, deixando de ser vistas como mulheres rejeitadas para passarem a ser entendidas como pessoas independentes e satisfeitas consigo próprias, que não têm de ter uma relação se não o quiserem.

A investigação mostra ainda que há diferenças na forma como cada género lida com a morte do parceiro.

No caso dos homens, a saúde piora consideravelmente quando a mulher morre, não só porque perde a companheira, mas também a líder e alma do lar.

Já com as mulheres acontece o contrário. Ainda que sofram com a dor da perda, acabam, com o tempo, por se sentir mais livres para fazerem a sua vida.