Morreu mais um Jackson

Joe Jackson, o pai de Michael Jackson, morreu de cancro no pâncreas, aos 89 anos.

Foram os netos que confirmaram a morte através das suas contas públicas nas redes sociais. “Que o rei que fez tudo o que foi possível descanse em paz, eu te amo avô”, escreveu Randall, 26 anos. “Joe foi amado por toda a família e nossos corações sofrem”, acrescentou Taj, que também é músico.

Pai de 11 filhos, foi o responsável pelo início da carreira musical do filho Michael Jackson. E era o agente de vários dos seus filhos, incluindo Michael e Janet Jackson.

O modo como lidou com a carreira dos filhos distanciou-o de alguns deles, como revelou o cantor de Thriller na sua autobiografia e no livro Moonwalk: “Tivemos um relacionamento turbulento, passávamos a maior parte do tempo a ensaiar, para mim ele ainda é um homem misterioso e é possível que o sempre seja”. Contudo, também confessou que se não fosse o nível de exigência do pai, talvez nunca tivesse chegado aonde chegou.

Apesar dessas declarações, todos os filhos o defenderam e estiveram com ele nestes últimos momentos da sua vida.

Joe Jackson nasceu, em 1958, a 26 de julho, em Fountain Hill, Arkansas, e dedicou os primeiros anos da sua vida ao boxe até se casar, alargar a família e trabalhar numa fábrica.

Entusiasta de música, tocava viola e fez parte de uma banda musical. Quando percebeu as habilidades dos três filhos mais velhos, Jackie, Tito e Jermaine, formou com eles um grupo, que mais tarde incluiria os pequenos, Marlon e Michael:  os Jackson 5, que se tornaram um dos primeiros grupos de afro-americanos que alcançaram sucesso internacional.