Noite fria e solitária no palco do CCVF com “O Vigilante Noturno”

“O Vigilante Noturno”, novo projeto do Teatro da Didascália, coproduzido pelo Centro Cultural Vila Flor (CCVF), sobe ao palco do Pequeno Auditório às 21h30 do dia 12 de outubro.

 

Este espetáculo é o segundo numa linha de trabalho sobre a manipulação da matéria. Desta vez, o foco volta-se para os materiais de construção civil – tubos, tijolos, martelos, madeira – e na relação atribulada entre estes e o seu vigilante. O trabalho do vigilante noturno é extremamente solitário e sujeito quer ao perigo, quer à peripécia.

A nova peça do Teatro da Didascália, “O Vigilante Noturno”, é o segundo projeto numa linha de criação que se orienta por um trabalho que vai ao encontro dos materiais, a partir dos quais a mão humana se serve para manipular, transformar e esculpir, dando asas a uma necessidade profunda do ser humano: criar. Esta pesquisa sobre a manipulação da matéria iniciou-se com o espetáculo “One Man Alone”, no qual a ação estava concentrada na utilização da massa fresca do pão e da farinha, enquanto matérias de trabalho, de forma a dar corpo ao imaginário absurdo das longas noites de um padeiro solitário.

Em “O Vigilante Noturno”, a manipulação dos objetos torna-se o elemento fulcral de um duelo que, ao longo de uma fria noite, irá opor um solitário vigilante noturno aos materiais de construção que o rodeiam: “Quatro da manhã: Uma corda atacou-me pelas costas. Desconheço os motivos da sua revolta. Estou encurralado e o balde olha para mim com um olhar furioso. Não sei quanto tempo mais conseguirei aguentar sozinho. Se ao menos a manhã chegasse. Os baldes novos estão do meu lado”.

Neste espetáculo, o foco volta-se, assim, para os materiais de construção civil – tubos, tijolos, martelos, madeira – e na relação atribulada entre estes e o seu vigilante. O trabalho do vigilante noturno é extremamente solitário e sujeito quer ao perigo, quer à peripécia. O espaço físico do espetáculo é construído e destruído num processo acompanhado por dois músicos que, em cena e em simultâneo, instalarão o espaço sonoro. “O Vigilante Noturno” é um espetáculo que bebe das várias linguagens que têm vindo a fazer parte da pesquisa artística do Teatro da Didascália: o movimento, o teatro, a manipulação de objetos e a música, evidenciando o trabalho transdisciplinar da companhia. Com encenação de John Mowat, “O Vigilante Noturno” é uma coprodução do Teatro da Didascália, da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão e do Centro Cultural Vila Flor.

O Teatro da Didascália foi fundado em 2008 em Joane, Vila Nova de Famalicão. Tendo como principal atividade a criação ligada às artes performativas, persegue um trabalho de pesquisa e de cruzamento estético, com o objetivo de fazer surgir uma linguagem própria e inovadora. Em 2018, a companhia celebra o seu décimo aniversário e prossegue um intenso e contínuo trabalho de pesquisa a nível físico que, a par de textos, utiliza o corpo como ferramenta experimental, procurando dar lugar à criação de uma dramaturgia e linguagem originais, ao investir numa escrita teatral visualmente atraente e universal. Paralelamente, o Teatro da Didascália organiza uma série de projetos ligados à programação cultural, como o Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous e o encontro de teatro, Territórios Dramáticos, que procuram alterar a maneira como utilizamos os espaços público e privado, potenciando através destes a interação entre as artes, o território e suas comunidades.

Os bilhetes para “O Vigilante Noturno” poderão ser adquiridos, como habitualmente, nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor, do Centro Internacional das Artes José de Guimarães e da Casa da Memória de Guimarães, bem como nas lojas Fnac e El Corte Inglês, entre outros pontos de venda, e na internet em www.ccvf.pt e oficina.bol.pt .