O carrinho de bebé e a poluição

Certamente nunca terá parado para pensar nisto, mas a verdade é que ao passear o seu filho num carrinho de bebé ele está mais exposto à poluição. Descubra porquê.

Sobretudo quando o carrinho de bebé é demasiado baixo e usado para passeios em grandes cidades, onde a presença de gases poluentes é consideravelmente maior. Um estudo recente relacionou este acessório com a exposição a inúmeros poluentes. O carrinho de bebé pode estar a pôr em risco a saúde do seu filho.

Além do facto de, nos primeiros anos de vida, qualquer criança ser naturalmente mais frágil do que um adulto, surge agora um estudo que alerta para a exposição aos gases poluentes. A Organização Mundial de Saúde lembra mesmo que, só em 2017, a poluição ambiental causou a morte a quase 1,7 milhões de crianças com menos de cinco anos. E é aqui que poderão estar os casos em que o (ou um dos) “culpados” seja o carrinho de bebé onde o mesmo é transportado. O alerta surge por parte de um grupo de investigadores ingleses, da Universidade de Surrey que explica que tal acontece quando o carrinho é “demasiado baixo e usado para passear o bebé em grandes cidades, onde a presença de gases poluentes é consideravelmente maior”.

O estudo, agora publicado na Science Direct, explica que a poluição dos carros, camiões e esgotos geram partículas que se concentram essencialmente a um metro do solo, logo, uma criança que esteja num carrinho (os tradicionais permitem que a cabeça do bebé fique entre 0,55 a 0,85 metros do solo) está exposta a 60% mais poluição do que um adulto.

O que fazer para minimizar tal situação?

 – opte por carrinhos mais altos;

 – evite sempre que possível os ambientes onde a concentração de poluição é maior;

 – use um pano ou cobertura protetora para evitar a exposição direta da criança ao ar.