O Convidador de Pirilampos chega a Guimarães

Espetáculo do ilustrador António Jorge Gonçalves e do escritor Ondjaki, com foco no público familiar e grupos escolares, é apresentado entre 6 e 12 de abril em Guimarães. O Convidador de Pirilampos desperta a magia no palco do Centro Cultural Vila For a partir de 6 de abril.

A partir do próximo sábado, 6 de abril, o encanto d’ O Convidador de Pirilampos chega a Guimarães para espalhar a magia entre todos os que se aventurarem a entrar no Pequeno Auditório do Centro Cultural Vila Flor (CCVF). O ilustrador António Jorge Gonçalves encena um espetáculo com narradora, clarinetista e magia cénica, a partir de ‘O Convidador de Pirilampos’, livro de 2017 que resultou da sua segunda colaboração com o escritor Ondjaki. O espetáculo é apresentado nos dias 6 e 12 (sessão esgotada) de abril ao público geral e famílias e de 8 a 12 de abril a grupos escolares.

 António Jorge Gonçalves adapta ao palco o livro de Ondjaki ‘O Convidador de Pirilampos’, ilustrado por si. Este espetáculo, com dramaturgia e encenação a cargo do referido ilustrador, conta com narração de Cláudia Semedo acompanhada pelo clarinetista José Conde, abordando o medo do escuro, a liberdade e a importância das estórias. Com toda a magia cénica do escuro. O público poderá conhecê-lo já no próximo sábado, 6 de abril, às 11h00, no Pequeno Auditório do CCVF, estando a sessão do dia 12, às 15h00, com a lotação já esgotada. De 8 a 11 abril, às 10h30 e 14h30, e no dia 12, às 10h30, decorrem sessões reservadas a grupos escolares no âmbito do Ante Pé, programa pré-escolar que integra as vertentes lúdica, expressiva e educativa das práticas da música, do teatro e da dança.

O livro ‘O Convidador de Pirilampos’ (2017) é o resultado de uma parceria entre o espírito poético de Ondjaki e a inventividade de traços, linhas e cores de António Jorge Gonçalves. Neste se conta que perto da Floresta Grande, lugar dos pirilampos ‘apagados’ – também conhecidos por pirivelhos – e dos outros, vivia um menino curioso e o seu avô. Em noites de lua nova, ambos partiam floresta dentro, com o menino a trazer dentro da sua mochila alguns dos seus estranhos e complexos inventos, tais como um aumentador de caminhos ou o unóculo, que servia para ler o brilho dos pirilampos e comunicar com eles. Ele que, diz orgulhosamente ao avô, já cientistou os pirilampos muitas vezes.

No dia seguinte, quando regressam à floresta para recolher as invenções deixadas para trás, o avô percebe que o aumentador de caminhos é um outro nome para armadilha, e que a casa que o menino construiu para eles no quintal é uma designação mais simpática para gaiola. Com a ajuda do código morse e as palavras sábias do avô, irá compreender que a luz dos pirilampos não vem da força dos corpos mas de um outro alimento, e que estes também poderão brilhar de tristeza.

Os bilhetes para a sessão do dia 6 de abril (11h00) d’ O Convidador de Pirilampos, espetáculo dirigido a maiores de 4 anos, têm o custo de 2 euros e podem ser adquiridos nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor, do Centro Internacional das Artes José de Guimarães e da Casa da Memória de Guimarães, bem como nas Lojas Fnac e El Corte Inglés, e via online em www.ccvf.pt e oficina.bol.pt.