O melhor azeite do mundo é português e alentejano

O júri do prémio Mario Solinas acaba de considerar o azeite produzido pela Sociedade Agrícola Vale do Ouro, em Ferreira do Alentejo, como o melhor do mundo, na categoria de 'azeite verde ligeiro'.

O mais cobiçado prémio a nível mundial, na indústria do azeite – o prémio Mario Solinas – da responsabilidade do International Olive Council (Conselho Internacional do Azeite), atribuiu quatro galardões a Portugal.

O primeiro prémio foi ganho pelo azeite verde ligeiro, da Sociedade Agrícola Vale do Ouro, de Ferreira do Alentejo. O segundo prémio foi atribuído a um azeite da Sovena e, o terceiro e quarto prémios foram concedidos às empresas Fitagro e Elosua, ambas sedeadas em Ferreira do Alentejo.

Espanha obteve o mesmo número de distinções. Marrocos conseguiu duas e, pela primeira vez, um azeite chinês foi considerado o melhor do mundo na categoria de ‘maduro’.

Ressalte-se que, na edição de 2018, estiveram em competição 189 marcas de azeite. Espanha, que é o maior produtor mundial, concorreu com 97 marcas, Portugal com 35, Tunísia com 16, Itália com 15, Marrocos com 12, Grécia com 5, Turquia com 4, China com 2 e Brasil, França e Croácia com 1 marca.

Apesar da diferença entre Espanha e Portugal, no que diz respeito a marcas produtoras, a produção de azeite em Portugal aumentou 80% na campanha de 2017/18 face à campanha do ano anterior, apesar da seca prolongada. Além disso, Portugal tem a vantagem de conseguir ser o primeiro a colocar azeite no mercado, devido ao clima que permite uma maturação mais precoce da azeitona e, ainda, devido facto de a barragem de Alqueva permitir irrigar dezenas milhares de hectares de olival, o que não acontece na região espanhola da Andaluzia – de onde sai 70% da produção total daquele país – onde nem todo o olival é irrigado e muita da área plantada é mais velha do que a alentejana.

Parabéns!