O milagre de um copo de vinho (tinto ou branco)!

O vinho faz bem, quase toda a gente o afirma. Já todos lemos, nas tavernas da especialidade, decálogos, mandamentos e outras “receitas” sobre o vinho. Aqui vão mais umas dicas sobre o bom que é e o bem que faz:

1. Um copo de vinho tinto (tem mesmo de ser tinto?) equivale a uma hora de exercício!

Quem o garante é um estudo realizado na Universidade de Alberta, no Canadá. Segundo o mesmo, o resveratrol, uma substância química encontrada em algumas frutas e no vinho, aumenta a eficiência do corpo, melhora a função cardíaca e fortalece os músculos. Ou seja, este químico tem as mesmas funções que o exercício no nosso corpo. O resveratrol fortalece o coração e torna os músculos mais fortes e resistentes. Ou seja, este químico tem as mesmas funções que o exercício no nosso corpo. Além disso, um copo de vinho tomado na noite regula os níveis de glicose no sangue e tem um efeito antioxidante, por isso, quem bebe parece mais jovem e controla o seu peso.

2. Um copo de vinho por dia pode diminuir em 77% o risco de morte por demência.

De acordo com Frans Boch Waldorff, o professor que liderou o estudo da Universidade do Sudeste da Dinamarca, os resultados apontam para “uma possível associação positiva entre o consumo moderado de álcool e a mortalidade de doentes com Alzheimer”.

Contudo, os investigadores acreditam que os efeitos positivos podem não resultar das propriedades do álcool, mas do facto de que as pessoas que bebem moderadamente tenderem a ter vidas sociais mais ricas. A relação entre vidas sociais preenchidas e a qualidade e duração de vida já foi destacada por vários estudos.

Mas não se entusiasme demais. Segundo Frans Boch Waldorff, o álcool danifica células cerebrais e, sendo a demência uma doença neurodegenerativa, qualquer conclusão precipitada deve ser evitada, pelo que, diz, “Não podemos encorajar nem desaconselhar o consumo de álcool baseando-nos neste estudo”, continuou o professor.

De qualquer modo, neste estudo foram seguidos 321 pacientes com Alzheimer durante 12 meses e controlada a quantidade álcool que consumiam por dia. Um em cada 10 pacientes não bebia álcool, e um em cada 20 bebia mais de três unidades por dia. 17% dos pacientes bebia duas a três unidades, o equivalente a um copo grande de vinho, e foi neste grupo que a o risco de morte diminuiu 77%.

Talvez porque beber potencia a atividade e interação social…!

3. O vinho é um forte estímulo para o cérebro.

O professor e neurocientista Gordon Shepherd, da Faculdade de Medicina de Yale, nos EUA, diz no seu livro, “Neuroenology: How the Brain Creates the Taste of Wine”, que beber vinho desperta reações tanto nas partes sensoriais como emocionais do cérebro, porque o gosto é apenas uma ilusão, produzida pelos nossos sentidos e emoções que posteriormente irá traduzir a perceção que temos dos alimentos e bebidas.

“O sabor não está no vinho; o sabor é criado pelo cérebro de quem o ingere”. “As moléculas do vinho não têm sabor nem cheiro, mas quando estimulam os nossos cérebros, é criado o sabor da mesma forma que cria a cor”. “O vinho é fortemente dependente das nossas memórias e emoções”, concluindo-se, então, que beber vinho estimula mais o cérebro que ouvir música ou resolver uma equação matemática.

4. O vinho, se bebido antes de dormir, ajuda a perder peso.

Cientistas da Universidade do Estado de Washington e Harvard descobriram que o resveratrol (já falámos dele) impede as células de gordura do corpo de adquirirem mais gordura. Assim, beber dois copos de vinho por dia pode ajudar a reduzir o risco de obesidade em cerca de 70 por cento.

O vinho é recomendado à noite porque, nesta parte do dia, as suas calorias ajudam a manter a sensação de saciedade, reduzindo os desejos da ceia.

Um outro estudo, duma Universidade da Dinamarca, mostrou também as pessoas que bebem vinho todos os dias têm cinturas mais finas do que aquelas que não o fazem.

Um estudo da Universidade de Harvard sobre o controlo da obesidade descobriu que, das 20.000 pessoas testadas, uma quantidade significativa das que engordou não bebe álcool!

Aqui está: agora que a ciência o confirma, não deixe de beber o seu copinho de tinto (pode ser branco)!