O mito do óleo de coco…

Uma vasta comunidade de marcas, lojas e adeptos de vida saudável garantem que o óleo de coco é "super alimento". Puro engano, garante a epidemiologista Karin Michels.

Esta docente em Harvard e vários nutricionistas em todo o Mundo asseguram queo óleo de coco é, afinal, “uma das piores coisas que se pode comer”, porque tem mais de 80% de gordura saturada, altamente maléfica para a saúde.

Apesar da poderosa campanha de marketing e da recomendação dos vegetarianos e veganos, este óleo tem mais gordura do que a manteiga e a banha de porco.

“Puro veneno”, assegurou Karin Michaels, numa palestra recente na Universidade de Friburgo, Alemanha.

No Reino Unido, a maioria dos nutricionistas defende que o consumo do óleo de coco, dado o facto de ser rico em gordura saturada, deve somente ser feito apenas em ocasiões pontuais, usando, como alternativa, gorduras como o azeite ou o óleo de girassol.

O combate contra o mito do óleo de coco está a ganhar cada vez mais defensores entre os profissionais de nutrição de numerosas nacionalidades.