O papel do Pai na vida de uma criança

O papel do Pai é primordial na vida de uma criança, portanto devemos reconhecer e valorizá-lo desde o início. E o início começa na concepção ou melhor começa na pré-concepção. Porque os pais já são pais mesmo antes de engravidar, começam a ser pais quando sonham em o ser.

As 40 semanas de gravidez são fundamentais para a mãe e para o pai pois permitem que haja tempo para a integração e ajuste dos novos papéis e tarefas a desempenhar. A forma como o pai encara o momento pode ser diferente da forma como a mulher está a vivenciar a gravidez, é importante dar espaço e tempo ao homem. Ser realista é importante para uma boa adaptação ao novo papel familiar.

As pessoas são diferentes e a actuação do pai actual varia conforme a personalidade e as possibilidades económicas e o tempo que este dispõe. Existem pais que querem assistir às aulas de preparação para o nascimento outros que apenas pretendem assistir ao parto… O que realmente importa é que a dinâmica familiar funcione, que haja compreensão, amor e afecto porque muito mais importante que a quantidade é a qualidade nos momentos partilhados.

O momento do Parto tem uma carga emocional muito grande para ambos. No caso do pai é o momento onde há a transição do imaginário para o real. Naquele instante nasce não só um bebé mas uma mãe e um PAI. A díade passa a tríade e a equipa deve funcionar em harmonia.

A presença do é Pai é o porto seguro da mãe, naqueles instantes eles respiram em sintonia com a mulher, sofrem a cada contração, mostram-se mais valentes do que eles próprios imaginavam, mais companheiros do que se julgavam e mais importantes do que alguma vez pensavam ser.

Já em casa, o casal experiencia emoções e sensações novas e opostas: ora o amor incondicional ora o cansaço profundo. É neste momento que o pai volta a ter um papel fulcral. Se por um lado tem que saber lidar com a perda de atenção por parte da mulher (porque sim acontece de forma inconsciente), por outro lado tem que ter a capacidade de transmitir a segurança, amor e afecto que se vão reflectir no bem-estar do bebé.

Caso o casal não esteja em harmonia a mulher pode-se sentir esgotada, irritada, tensa e mal-humorada pelo excesso de solicitações e o bebé pode sair prejudicado.

Assim,  nos primeiros tempos a mãe assume maior atenção das necessidades do bebé pela dependência deste da mãe mas o amor e compreensão do pai serão um contributo valioso para o bem-estar do filho. Nos meses seguintes o papel do pai passa a ser mais activo.