Ó pernas para que te quero?

Para fugir, é logo a primeira resposta! Mas se o seu objetivo é combater as dores de costas, a principal causa de incapacidade física em Portugal, então o melhor mesmo é usar as pernas para caminhar!

Caminhar faz bem às costas! Por isso, pernas em ação! Andar, muito, representa o melhor remédio para prevenir. Mas há mais práticas recomendadas, indica Manuel Tavares de Matos, o presidente da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral. Além disso, caminhar é simples, barato e eficaz. A maior causa de incapacidade física em Portugal, ou seja, não são novidades, mas certo é que o problema tem vindo a intensificar-se, ao longo da última década. Para o prevenir, nada melhor que fazer caminhadas. Os dados mais recentes do estudo mundial Global Burden of Disease, da Universidade de Washington, referentes a 2016, indicam que as dores nas costas permanecem bem à frente das incapacidades físicas relacionadas com os órgãos responsáveis pelos cinco sentidos e das depressões.

“A caminhar melhoramos a estrutura óssea e a estrutura muscular da coluna”, destaca o presidente da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral. “Quando levantamos o joelho para dar um passo, estamos a reforçar o músculo psoas-ilíaco, que dá suporte à coluna”, esclarece o ortopedista.

Mas não é só. Durante o exercício básico de andar, tendões, ligamentos, a capacidade de equilíbrio e o sistema nervoso central também são trabalhados, que no fundo acaba por “fomentar todos os recursos da coluna”, acrescenta o clínico.

Enquanto explica por A+B por que motivo caminhar faz bem, Manuel Tavares de Matos recorre à imagem de um recém-nascido para ilustrar como “todos nós, depois de nascermos com uma curvatura acentuada na coluna, numa única direção, desenvolvemos duas curvaturas em sentido contrário, uma na cervical e outra na zona lombar, que nos conferem os atributos de um ser bípede. E prossegue: “Andar é a base da nossa vida. Se não a estimulamos vamos perder essa capacidade”. Oito a cada dez portugueses enfrentam, pelo menos uma vez na vida, um episódio de lombalgia.

Natação, andar de bicicleta, fazer hidroginástica e andar dentro de água (para quem tem dificuldade em caminhar) são outras opções válidas para reforçar a estabilidade da coluna vertebral.