O S. João não é festa de uma noite só

No Porto, uma noite não chega para celebrar o São João. A festa que leva toda a cidade à rua começou logo no primeiro dia de junho e vai prolongar-se até ao feriado de 24 de junho, por entre bailes, rusgas e arruadas, mercados de rua, exposições, oficinas e concursos, festivais, regatas, fogo-de-artifício e, claro, muita música.

Um pouco por todo lado, já se sente o ambiente próprio da festa maior da cidade. Os manjericos já espreitam, os divertimentos já se instalaram na Rotunda da Boavista e nas ruas e praças mais típicas do Porto já se fazem bailaricos e arraiais noite dentro, entre o cheiro das sardinhas assadas e dos pimentos grelhados.

Mesmo sem balões, há rituais que não se perdem e se renovam a cada ano, mantendo viva esta tradição secular, que percorre gerações e continua a contagiar todos os que nela participam, repetidamente ou pela primeira vez.

Entre Cascatas, Bandeiras, Martelos e Manjericos

Marcadamente popular, a festa volta a convocar os portuenses através de dois projetos comunitários ligados a símbolos tradicionais do São João.

O primeiro consistiu na construção de uma Cascata Comunitária de São João, que nasceu no Mercado Temporário do Bolhão. A inauguração foi no dia 22 de junho, mas as oficinas de criação, abertas à participação de toda a população, já estão a decorrer no mercado e em duas oficinas de cerâmica do Porto.

A outra iniciativa, designada Rua de São João, à participação de comerciantes, residentes, turistas e público em geral para decorar um troço da Rua de Fernandes Tomás (junto ao Mercado Temporário do Bolhão) com bandeiras das cores tradicionais do São João, numa oficina desenvolvida pela OUPAS Design na manhã e tarde de 22 de junho.

Mas há outros símbolos tradicionais da festa de São João que estão também representados na cidade, como a exposição do Concurso Martelinhos de São João, patente até 30 de junho no Palácio das Artes, e a instalação “Flores de Manjerico”, na Praça do General Humberto Delgado, da autoria do coletivo FAHR, até 23 de junho.

Bailes, Arruadas e Rusgas de São João

O São João faz-se também de bailes e arraiais que enchem de cor e de música popular as várias freguesias, com várias propostas para quem quiser cantar e dançar ao ar livre.

O ponto alto será, claro, o fim de semana de 22 a 24 de junho, com as Rusgas de São João a marcarem a contagem decrescente para a chegada da noite mais longa do ano da cidade do Porto.

Marcadas para a noite do dia 22, a partir das 21,30 horas, as Rusgas desfilaram este ano em torno da Avenida dos Aliados, mantendo-se a exibição obrigatória perante a bancada do júri na Praça do General Humberto Delgado, em frente ao edifício dos Paços do Concelho. Tal como define o regulamento, cada rusga recebeu uma pontuação com base em elementos como os trajes, os adereços, os cenários, a música e a coreografia. Nesta edição, estiveram a concurso sete rusgas, em representação de cada uma das freguesias (ou Uniões de Freguesia) do concelho do Porto, num total de mais de 1.100 figurantes.

Concertos na Avenida e Fogo de Artifício na ponte

De 23 para 24 de junho, o ciclo de Concertos na Avenida vai ter como denominador comum a música popular portuguesa. A abrir a noite, pelas 22 horas, os Aliados transformam-se no maior arraial da cidade, apresentando um concerto que pretende ser uma homenagem a um dos grupos que mais músicas dedicou ao São João do Porto: o Conjunto António Mafra.

Fotografia: portolazer.pt

Logo após o espetáculo de fogo de artifício sobre o rio Douro, será a vez de José Cid subir ao palco da Avenida dos Aliados para animar a noite mais longa e festiva do ano.

Mas como o São João não se esgota na noite, a tarde de 24 de junho reserva ainda mais uma atuação no palco dos Aliados. A Banda Sinfónica Portuguesa vai atuar no tradicional Concerto de São João, este ano com início às 17 horas e a presença especial do Quarteto de Clarinetes de Lisboa.

Boa festa! Viva o S. João!