Outras formas de arte

Começou devido à paixão dos adeptos pelo seu clube e pela vontade de o apoiar, agora tornou-se num negócio. Hoje, as claques são organizadas, vigiadas e juntam-se antes dos jogos para preparar as coreografias a realizar.

Esteticamente, chega a ser impressionante o efeito produzido pelo levantamento de simples cartões, que esperam pousados nas bancadas pelo espetador que o vai erguer. Tudo isto preparado previamente por um conjunto de indivíduos, a claque.

Começando em Portugal, temos vários exemplos de grupos organizados de adeptos que criam um ambiente fantástico a partir das bancadas, mas as repercussões são bem maiores se tornarmos o filtro menos rigoroso, ou seja, se olharmos para o resto do mundo. É fascinante! Por todo o lado, existem adeptos dispostos a quase tudo para apoiar o seu clube. Infelizmente, por vezes, este fanatismo é levado ao extremo e causa incidentes indesejados. Mas deixemos a parte menos boa de lado e comecemos esta viagem pelo mundo das claques, pelo mundo do espetáculo!

E é em países nos quais o futebol não tem muita expressão que se encontram algumas das melhores claques do planeta, nomeadamente na Polónia, onde os adeptos dos rivais Lech Poznan e Légia de Varsóvia criam ambientes fabulosos durante os jogos das suas equipas, e quando elas se defrontam… bem, digamos que é… qualquer coisa… Também na Sérvia temos oportunidade de assistir a um clássico que em termos de espetáculo vindo das bancadas para dentro das quatro linhas é dos melhores no velho continente, falo do Partizan vs Estrela Vermelha. É, sem dúvida, fantástico. Fora da Europa, é obrigatório dar um saltinho ao país das pampas, à argentina, que é mais um país onde o futebol vale a pena pelos adeptos apaixonados pelos seus clubes. O Boca Juniors, o River Plate e o Rosário Central são alguns dos clubes pelos quais os seus adeptos transformam os respetivos estádios em verdadeiros “infernos” durante os jogos. Até neste último campeonato do mundo, na Rússia, foi possível constatar a paixão dos argentinos pela seleção albiceleste. Por fim, seria impensável terminar sem voltar à Europa, mais precisamente à Inglaterra e a Liverpool. Em Anfield, palco mítico do futebol mundial, antes de cada jogo, os adeptos do Liverpool, a partir da Kop (bancada mítica deste estádio) juntam-se numa só voz para entoar o imortal “You’ll never walk alone”, um momento que antecede o apito inicial e que, independentemente do adversário, é sempre um momento de cortar a respiração. Arrepiante!