Pianista António Rosado atua em Matosinhos

António Rosado interpreta peças de Liszt e Musorgsky. O concerto é a 19 de outubro, às 21h30, no Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery.

António Rosado é um “intérprete que domina o que faz. Tem tanto de emoção e de poesia, como de cor e de bom gosto”. As palavras da revista francesa Diapason referem-se ao pianista António Rosado e permitem antever um concerto memorável para esta sexta-feira, 19 de outubro, no Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery. Para que tudo seja perfeito, o programa do recital conta com obras de dois vultos da composição erudita oitocentista, Franz Liszt e Modest Musorgsky.

A primeira parte do concerto será preenchida com três peças de Liszt: “Études d’Exécution Transcendante”, de 1851, “Consolations, Six Pensées Poétiques”, de 1849-1850, e “Harmonies Poétiques et Religieuses”, datada de 1848-1853. A extraordinária interpretação de António Rosado permitirá perceber o caráter arrojado e revolucionário do compositor húngaro (1811-1886), caracterizado desde logo pela forma como influenciou os seus contemporâneos e antecipou a música do século XX.

De Modest Musorgsky (1839 – 1881) será interpretada a peça “Pictures at an Exhibition”, de 1874, na qual o compositor russo combina linguagens e artes: descreve um passeio imaginário por entre os quadros de uma exposição do arquiteto e pintor Viktor Hartmann, numa tentativa de transpor para música o universo criativo do artista plástico.

Com uma carreira reconhecida internacionalmente, António Rosado tem-se afirmado como um dos mais notáveis pianistas portugueses, capaz de abordar compositores tão distintos como Gershwin, Copland, Albeniz ou Liszt. Distinguido com diversos prémios nacionais e internacionais, Rosado foi responsável pela primeira apresentação em Portugal de obras como as “Sonatas” de Enescu, as “Paráfrases” de Liszt ou as integrais dos “Prelúdios” e dos “Estudos” de Debussy. A sua discografia contempla, aliás, obras marcantes do repertório para piano solo e de música de câmara de Enescu, Vianna da Motta, Liszt, Schumann, Brahms, Mozart, Rachmaninov, Fernando Lopes-Graça, Armando José Fernandes, Luís de Freitas Branco e Debussy.